Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

    PATRONO DO MÊS DE AGOSTO
         Related image
                       Victor Hugo ( Romancista Francês )
                      
                           

                
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Textos


Pedraria recorrente, estranha fixação

Desperte o mineral e teimará eterno na inércia!
E o toque de sofrer amolece a dureza da rocha
os machucados sobrevindos serão apenas aviso
e estou despreparada pra amar sem tristezas...

Firme, austera, louca a conviver longe do chão
pétrea de coração, amarga de côr da ferrugem
rolando ao acaso entre muradas ou montanhas
os sentidos a demandar o silêncio não ouvido...

Me retire o ânimo da solidez e amaciarei o grito
tendo que despertar em mundo de intrigas vãs
de alma gélida, isenta de mistério, sem desejo
queres é amar o insondável prazer irrevelado...

Sonhar que se esvai areia, carne, aquém sentir
tudo por causa do amanhã residindo no cristal
as tardes a resistir entre as moradas mágicas
e de noite permitir-se ver o reflexo doloroso...

E este que amar é danoso, enfim término medo
caindo nuns sonhos petrificados outrora falsos
pretendendo a humana farsa da ilusão amada
sendo fria a recepção do crepúsculo perdido...

Saberá até o fim, até insistir errado, ser abismo
a padecer ornatos numa noite mascarada de si
envolvida de distantes anseios jamais calados
se ao menos em jóias tornasse vida cautelar...

Te juramentar que sou mais teimosa no escuro
enfeite de conjuras que transformou pedrarias
gemas douradas dos ocasos, têmperas tristes
tudo por te pedir liberar galante sonhar infinito...
Jurubiara Zeloso
Enviado por Jurubiara Zeloso em 14/01/2018
Alterado em 14/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras