Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

    PATRONA DO MÊS DE ABRIL                   

                 Simone de Beauvoir ( escritora )
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Textos


  O que vier está carente, calejado de perdas
  e que siga e me afronte, cá eu não temerei!
  Já sou mais conviva, esperta, não trapaceira
  e já vi muitos, temores, como você, monstro
  Intenso que abismas, que me confunde siso
  ou multiplique-se que a ti enganarei espadas
 
   De longe ameaça-me, menina que te revelo
   e ofertando medo que nem favores infames
   e tu vens assim, careteiro e mil compadres!
   Te avisarei que comigo assusta muito nada
   sempre com defesas lhe darei uns desafios
   Eu sou atrevida, a já vivida, porém feiticeira 
   erguerei os trocentos heróis a me defender!

  Ora, se vá, nem se divida neste mil trevosos
  a mim jamais é afetará coragem de menina
  Me enfeite de medos, seu arruinado trevar!
  ou iluda-me com doçuras inocentes fardos!
  chegando com o frio você se redefine mau!
  Estou liberta das caretas, das suas regalias
 
  Se vier me machucar eu lhe darei ferimentos
  soltarei meu balão pacifico mágico. e te juro!
  Nele virão uns soldados afeminados de valor
  bonecos de crianças, comportados cidadãos
  E acaso, múltiplo, jamais me assustará ainda
  pois no combate terás perdido irmãos balão!
Jurubiara Zeloso
Enviado por Jurubiara Zeloso em 07/01/2018
Alterado em 07/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras