Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

    PATRONA DO MÊS DE ABRIL                   

                 Simone de Beauvoir ( escritora )
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Textos


   Espero, esmero de simples saber
   o que empalidece a chama rubra da vida
   causa de meu amanhã sem noites feias
   este iluminar só teu de Solar vendetta
   paz sorriso questionado de rebelar-se
   sereno teu chavear segrdos além houver
   sou a tua chance de reinar tempestades

   Te direi, lhe direi, talvez bradasse alto
   o que convier pacifico destino lustrau
   desse tanto perdido com os presentes
   hoje que converso como quase anjos
   a minha voz emudecida, enriquecida
   sorriso que sou, e serei bem mais seu
   o ontem escolhido agora tão amanhã!

   Com sofrer, resolver, enfim convencer
   que nuvens baixam pra colher ventos
   quais travessos rebentos quase filhotes
   nascidos de brumas, envoltos pulsam 
   recolhendo o rocio benevolente assim
   sorrindo mais vezes que puder contar!

  ( um tento, um momento, quase completo )
 
   - "me digas que choras, mas esconde ver
      padece mas entristece dentre verdades
      entoa cântico mal ouvido, já a reacender
      o luzir da chama, jamais te entregastes!"

A coisa que o aquece, mas esfria casto
aquilo que fomos, permanece ultimado
veridico anseio entremundos desolados
ou cheio de si, mesmo sofrido, ainda ri
e te esperamos irmãos não desiludos
talvez amor, amantes, portanto cegos
encilhados no destinar, caídos no limbo

Sim, ainda sorri, raiando de esperanças!

Veio com riso, entre rincões já desertos 
como pisos velhos, rompantes rezados
a caminhar solene com sorrisos maiores
os braços amantes, velados deutantes
o teu que é meu, o nosso, um coração
uno que ficamos na paixão fulgurante
tão brilhar quanto o Sol de limpo ocaso
meu ser a estar contigo, tão risonhos... 
Jurubiara Zeloso
Enviado por Jurubiara Zeloso em 01/01/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras