Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

 PATRONA DO MÊS DE OUTUBRO 
   
                     Xena, a Princesa guerreira
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
13/06/2017 15h09
Um parar pra pensar...

   Se tem algo que me incomoda são cinco coisas que admito chatas, tôlas demais.

   Uma é a tolice dos homens do muno em se meter em confusão, por isso me afasto deles. E as mulheres frouxas entram no embalo aceitando calhordas como heróis de um homicídio generalizado! Patriotismo azedo na hora da janta sem carne no prato, eita ferro!

   Outra tanta é aceitar esse machismo incoerente que nos forçam pela tal TV aberta e quase nada se vê de outros gêneros sexuais interessantes. Lésbica e gays na TV passam só voando, viram uma modinha de acordo com as emissoras bestalhinas, mídias inteiras fofocam sobre isso e cabou-se!. Alguém se esqueceu que a temática de gêneros é ainda atemporal sempre? Dose isso..."TV never more!"

    E tem os modismos de patricinhas que me irritam a cada estação do ano e nem vale comentar. Sai dessa, minhas tolinhas passa-fome...ugh!

    As filas pra tudo é tambem essa ingratidão da vida consumista de agora. Nada mais babaca que comoprar o que vai ficar atrasado ano que vem ou que vai ficar obsoleto em seis meses e por aí vai. Compro um celular e logo manhá tem outro troço mais bonito e chique, daí tem de se comprar pra ficarmos antenadas. Muio chato isso.

     O trânsito, as "panelinhas" de grupo dos colecionadores de diversas baiúcas colecionáveis - ô gentnha entendiante! - e vai por aí, as mocinahs enjoadas que detestam sexo ou algo mais inteligente, e ainda tem todo o resto que o governo empurra goela abaixo em nós todos. E tem essa tal de corrupção que já tanto vai longe e que NUNCA dá em nada mesmo, e de acordo com milhares de conchavos ou frescuras da poliTITICA brazuca. Uma realidade lixo, isso sim...

     Hoje reclamo pra não dizer que de flores e doces nem falo muito. E tem tanta coisa errada no país e eu nem seuqer falarei mais sobre isso. Não parece ter jeito as coisas como estão agora no momento. E tem um presidente por aqui mal afamado que insiste em não cair de sua torreta de marfim...mas vive de muita petulância e arroga-se supremo acima das leis, mesmo que não culpado. Hora essa...que Brazyl doido é esse que vivo atualmente? Tá "diferciu" viu! Complica-se a cada vez mais e mais. Onde vai dar isso tudo?

   Mais uma vez: 'sei lá entendes'? Lol...kkkkkkkkkk

                       

                    "Epa! Agora sou idealizada e meu cavalo só babava inglês..."


Publicado por Jurubiara Zeloso em 13/06/2017 às 15h09
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/06/2017 12h33
Um pouco de folga no meu "diarim"...

Hoje estou mais poderosa e nada mais tenho a dizer por ora...afff!.


Publicado por Jurubiara Zeloso em 09/06/2017 às 12h33
 
07/06/2017 13h58
Apesar de tantos por tão pouco...

  Hoje estamos bem. E eu estou belezura, muito chegada e bem mais levadinha. Passeio na cidade e olho essa crisre doida que nos acomete desde 2015, nada tão ruim mas o resto pecando por graves descasos dos governos. Que luxo poder andar ainda assim entre tantos perigos de calçadas furadas ou assaltos monstruosos! Claro que tenho mêda disso tudo me arrancar o couro...nem penso em subir morros por causa desses temores que a mídia televisiva vive a nos empurrar goela abaixo - não que eu me considere uma "aristocrata" enjoada disso. Mas eu tenho é amigas em favelas e em outros lugares do subúrbio, só não vou pra essas bandas pra evitar tarados, assaltantes e milícias ignaras. Argh. Que me perdoem, nem morta passo lá! ( risos ) 

   Ando pelas lojas do Centro por ser hoje um dia meio especial pra se comprar roupitazinhas e lenços descarados pra pôr  na cabeça das tontas. Ainda tenho um pouco de juízo pra sair, olhar tudo que vejo e voltar rapídinho pra nossa comunidade feminista. Mesmo assim eu adoiro andar na rua com roupas modestas, calcinha limpinha e meias calça deliciosamente eróticas. O povo macho me vê e vive me sapecando paqueras bestas ou olhares libidinosos horríveis. Ugh, ugh., ugh! Só tem pitecos na rua a cada esquina, pelo menos é o que eu acho. Sai fora gente! Estou precisando é de compras bonitas e muita bolsa pra carregar as "coisa"  de mulher. e daí que estou bonitinha, queixudinha, maquiadinha? Se querem me conquistar tentem conquistar Roma primeiro pra mim, tá? ( risos bobinhos, hehehehe! ) Não sou muito "dada" a homem pintoso, destesto!!!

    De resto estou bem ao entrar nas lojas caras pra burro, mas eu quero algo belo compro logo, já viram, não é? Pois sou desse tipo de gastadora poupante engraçadinha, apesar da grana curta nesta crise doida no rio. Afe, a saúde tá péssima, o transporta me irrita pra cacete, minha roupa rasga rápido, minhas calças gritam comigo e parte de minha sapataria no armário ( epa! ) tá mais gasta que uma careca de velha. Podem rir eu sou engraçada mesmo. A vida ta´meio piada sim. Hah, e eu tenho um humor que vai além dessa crisezinha babaca que assola o estado! Não me deixo levar por isso. Só fico um pouco "puta" nas calças por gastar tanto e nunca, nunca ver resultados bonitos diante de mim. Gastando e poupando nem sempre levo jeito...tá tudo caro demais nas lojinhas - ai ai ai - dessas demodê que entro!!! SOS governinhos sonsos, nos tirem dessa! Helpinho please! ( risos frouxos )

    Enquanto estou bem eu fico sorrindo que nem retardada. Fico a só gastar carteira entre comida, roupa, pagamentos ou contas atrasadérrimas. Claro que tenho de rir e sorrir de braços abertinhos e coisa e tal. Um pouco de sais de banho e um suvaco pelado bem escovado ( uhu! ) que sairei pela rua a sosrrir pra tudo, até pra velhos que olham na esperanmça de ver minha saia enorme que esconde presentinhos. Hi hi hi hi hi! M evisto de acordo pra evitar safadinhos com ereção infeliz. Pôrra, e nem todos sabem que sou sapatona não? |Tenho mesmp que érdoar esses velhinhos desamparadinhos. Tem hora que vou de calça justinha mas nunca apertada na frente, pra evitar apalpadelas de algum desavisado. Certo que sou sapata porém tenho de dar a mão à palmatória e mostrar meu jeitinho sapeca de mulher aos coroas que me adoram ver. Tenho de perdoar eles não é mesmo? Que me olhem bastante pra me fazer esentir invejada ou admirada por seus pares. Uhu! Dverte-me ver homens maduros quererem m econquistar o coração de couro q ue tenho. Ui ui ui! Que se dane, entretanto. Deixem que sonhem comigo, Só não quero é os avanços ou paquerimnhas retards dessa gente de rua ou carinhas novinhos...LOL! Diabo me livre de aceitar paqueras de homem, arghhhhhh...mulher é melhor sabiam?

   Quá quá quá quá, me divirto comisso!

   Eu me arrumo, me emboneco todinha, tomo três banhos antes de sair e saio por aí com roupas modestissimas - já falei disso certo? Vou pela esquina olho atrás e adentro qualquer loja, padaria, shópings(!) e quero tudo que vejo! E haja graninha meu doce! Tenho de me controlar e volto sempre pra casa esquecendo uma comprinha babaca inquestionável. Faço birra e volto pra passear atrás das coisas necessárias ao nosso habituê inflacionado de moças ( 15 delas tão deliciosas me deixam louquinha... ). Compro alimentos - como está caro, nossa mãe! - e encho a geladeira que quase sempre tá vazia que nem minha carteirinha de veludo. Tanta gente pra cuidar aqui...e toda a maioria de minhas queridinhas ali me ajudam sim senhor, senão o grelo come! Sim, claro isso no lugar de se dizer que pau come, que pega mau pra nós. Ai meus deuses! que amôr de "zente" que tenho! Uau! Vale a pena viver assim nesta crise.

   Vivamos a vida e deixemos a crise descarrilar tudo, pois o caos será nosso!!!

     

Não estou uma arraso? Pois andei assim toda safadérrima moçoila e meio mundo foi abaixo! kkkkkkkkkkk Tadinhos dos homê...kkkkkkkkkkkk Uma sapatona deliciosa com estilo meu benhê! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 07/06/2017 às 13h58
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
03/06/2017 20h49
Amor reductível...kkk

       Sele o preço de pagar o amõr devido. aquele que nunca virá até você, e que nunca sabe-se terminar feliz. Acredite se tento ousar ser amorosamente louca ao explicar essa coisa, da indefinida poetisa lésbica graciosa. Isso tudo me afeta e tenho amôr menos de sobra pra dar a outros que não conheço, Um dia entenderei melhor esse negócio. Espero... mas eu pago o selinho!

      Eu sei q ue sou amada pro gente miauvilhosa, outros que mal reconheço aqui do meu lado, outras tantas que me abençoam com sorrisos ou agarramentos. Eu a todos deliberadamente gosto o bastante pra a gradar. E se tento ser menos lésbica por afetação íntima, tanto mehor. Tanto faz. Sei lá. Compreendam que o amôr é único que se multiplicará nessa minha vidinha tentacular. Agradeço se alguém achar algo melhor que a mulher do meu feitio. Sério isso! E sou demasiado livre pra dizer tais coisas sim. Não há outra igual a mim. Infelizmente...

      Já tive recaídas por recuerdos de amorespassados m´[asculos e tolinhos. Nunca é demais dizer que sou afetada por isso, Se bemque tais recaidinhas sejam só passageiras formas de transar a vida com mais maÔr dificl. COmlico muito os meus princípios, mas nunca terei duas caras. Longe disso. Se tenho realmente atitudes bisssexuais ( amo de qualquer frma que me aceitem...se é que posso!  ) não é culpa só minha externamente. Dentro de mim a psicologia da mulher poeta, a mulher amiga, aquela  mulher além dessa filha sem sua mãe falecida. Sou amiga e amante. Suave e redentora, talvez mãe de minhas namoradinhas felizes. De certa forma sou grata por estar assim tão falante, por dizer sem temor que sou esquisita mesmo, louca aarivista dentro do quarto e dcoisa e tal. Mas fora dele sou mulher feminista ( sapata deliciosa... ) muito da cautelosa. E daí que adoro um sexo igual ao meu. E se outro aparecer que seja feminino, operadinha, transex, eu não duvido e vou fundo. Ora, pra que vivo se amar é meu salutar entendimento com minha própria prosa de vida? Nada decvo a terceiros, portanto. Pode ser até hermafroditas, porém homem mesmo detesto de ver e sentir por perto. Infelizmente eu recaio na armadilha e me entrego sem gozar, se eu quiser, hah! E Será chulo dizer isso? Não!

      Se tenho dois lados loucos mada admitirei. Contudo eu até adoro relação a dois ou mais amantinhas nos lençói ( ui! ) e um pu putro afeminado transexual que idolatro demasiado. Gosto de ser uma bissexual às vezes, se der. Entretanto tal recaída tem seu preço e logo de manhã acordo me sentindo pobre de ter de trocar fluidos corporais sem motivação maior. Engraçado mas fere muito de mim. Tirando essas doideiras sou até normal quando se trata de lesbianismo ferino contumaz e mais calminho. Que se dane as convenções! Sou assim e não mudo de porto! não  largo o sapatnho.... ( risdos )

     O amÔr não encontra subsídiops pra ser indefinido. E tem sido aasim em todas as idades, mitologias ou arregos hipócritas. Mas adianto que isso é só uma de suas mudanças na vida de alguém. Achar um que mereça é incompreensível, porém eu prefiro múltiplas escolhas. Livre, leve e relevante. Simples assim. E nesse  entanto, o amôr complica deveras em vasto nível de feminilidades ou de masculinidades, Sei disso por estar por baixo, de lado ou acima ( hummm ) de cada amorzinho serelepe que me vem ao quarto. Cedo meu amôr materno ao amôr fraternal esclarecido. Sou um anenteida não é? entonces estou certa ser o que sou. Pudera ir mais longe...e eu amarei todos que encontrar devidamente a seu tempo, claro!. Afffff! Quando se ama estou disposta quando me apetece e ponto final! 

   E existe tantas formas de amôr, mesmo que intolerantemente tenha vindo de terceiros mal versados nele. Eu adoro e amarei sempre as minhas concubinas sabichonas de meu círculo restrito de comunidade própria. Fizemos isso como pacto entre nós, sem arregos ou picuinhas exageradas, como ocorre em muitas variações de relacionamento. O amôr amigo. O agravo do amôr ciumento. O do amôr conjurado entre irmãos, pais ou afilhados - como exemplo peculiar. E tem o amôr, sem dúvidas, que se sacrifica por maiorias sem cobranças. O amôr divino ( deusa! ) que duvido alcançarmos na atual era que vivemos.  e afinal o amôr dos individuos, além do coração fraco e tempo empregado. Por aí vai, sei disso. E estou consciente do que digo, sempre!

   O amõr animal entre homens e bichos já é mais outro nível supremo acima do meu. admito mesmo. E das mães é o sublime que ainda não  me aflige com a tormenta necessaáia pra isso. Sofro em parte por tentar só o amôr conjugado e ser feliz portanto. Dentro de mim carrego a mãe das minhas dores futuras, pois sei que serei solteira eterna de algum modo, já que casar está longe dos planos de nossa comunidade cooptativa, e ajo de acordo. Se pudessemos casávamos todas de uma vez e eu sendo a 'abelha-rainha' dessa colméia "deliciosa" de meus dias, kkkkk. Mas o tempo, as leis e o mundo dos homens nos embotam nesse sentido incerto. Assim que estamos é melhor, acreditamos. ( risos )

   "Pois é, o silêncio é de ouro, o eco prematuro e essa saudade imutável..."

   Faço silêncio em prol daqueles que sendo muito desprovidos de amor maior são atacados pela doença mais terrível de todas: a necessidade de ser amado! Snif! A eles choro às ocultas no quartinho, pois nunca se satisfarão em sua breve situação. E eu me vou aqui, pensativa, claro...

                                

                                  

                            Ai  ai ai ai ai ai, é duro essa moleza....kkkkkk

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 03/06/2017 às 20h49
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/05/2017 17h32
Mais um dia e mais estradas

        Agpra estou bem como poetisa e coisa e tal. Entretanto falta-me ir longe em muita coisa deixada ao Zeus dará. Continuo na ofensiva, lindinha com queixo grandinho, sorriso sem vergonha ou até faladeira demais. Mas sou mulher e eu tenho de ser mais de meu jeitinho sapeca de ser. Poeta e até levadinha da breca, pode ser? ( risos )

       Ainda assim escrevo pouco por aqui, mas em vastos diários pessoais físicos escrevo demasiado. Tem de ser, Parte de meu acervo de belas prosas e bonitos versinhos ( ui, modéstia! ) contoinuará inédito na "delicada" Recanto, por motivos óbvios contra possíveis págios ou etecetera que tal. Parte de meus escritos est~´ao no papel. E eu escrevo mais coisas do que tudo que digo ou refaço aqui neste site. E assim será. Uma hora qualquer virão à tona...e la´vem o mundo contra mim...afe! Sei não...será que devo?

     Manterei o sorrirso e a caneta em dia sempre. OS diários físicos guardo na minha escrivaninha, mas somente miinhas queridinahs amigonas d ecasa podem ler o todo de minha obra em vida. Deixo e confio. Entretanto confio no sigilo delas quando se trata d eintimidades escritas, nunca reveladas a público até que eu decida expor melhor. Isso jamaos ocorrerá, creio eu, durante parte d emeus restos dilemas pessoais indevassáveis. Por um acaso vier a hora, eu morrerei deixando parte disso tudo à posteridade, porém é cedo salientar isso.

     Alegrem-se. Estou disposta e menos corrosiva. Gosto de suaves segredinhos ou doces momentos de ternura sensual ( beleza isso! ) das mocinhas. Escrevo por elas, e grande maioria d emeus enlevos são em dedicação à minha mãe que se foi de forma efêmera ou indelicada por parte da ciência médica capenga. Eu faço por minha mãe certas elegias, ou homenagens lícitas muitas vezes ocultas e veladas, o tudo que posso. Até nos meus diários pessoais verdadeiros saliento demais essa postura. Oque uenão falar por mim, meus escritos amargos o fazem constantemente. Mesmo em versos que conduzem a outros "chamamentos" emocionais diversos são contribuições à memória dela, pra todo sempre. Certo que nem toda poesoa de meu ser se baseie nisso. Parte de mim mesma e dos meus sofrimentos não ditos, além do aprendizado de vida, está nos versos ou prosas que "convoco" aqui. E dizem sobre mim o muito que eu possa dizer pesssoalmente. Mamãe eu sempre fomos afinal ligadas a esses extremos por carma ou outras coisas de mulher. E tudo isso escrevo nos versos em diversos modos. Tem de ser assim mesmo. Ela ainda está do meu lado de algum modo.

   Enquanto isso...

   Serei a poetisa ou sou poetisa de incomum trato? Sou ou jamais serei poeta de saias com amor devido ou delego maneirismos nos poemas mais belos de minha lavra?  Estarei certa ou coberta d emaus louvores por agir sme pensar como toda mulehr erudita sem fronteiras? E respostas pra todo meu sopfrer e penar diário em vida, cansada de"guerra" mundana, que deveriam vir? 

   Não tenho respostas certas. Nem sei me julgar devidamente. E já me chamam tanto de maluca, omissa, doente e anacronismo sexual.  E são tantas respostas fáceiis, pueris e desonestas que voltam-se contra mim. Entendo tudo e repito que sou o que sou, não mudo vírgulas e nem extirparei os ovários por isso. Eu ainda tenho integridade demaisado grande pra cair na esparrela dos babacas que me acusam disso ou daquiolo. Danem-se. Escreverei certamente por muitos motivos confessionais ( ou não ) em tudo que deixo escrito na Recanto e outros algures.  E não sou assim Portuguesa, faz favor! E eu até gosto é muitissimo das portuguesinhas.... ( risos ) e é diferente...beijos de Alentejos... ( risos )

   Vamos embora que vai mais um mês en nossas vidas pra celebrar poesias e boniras palavras. Minha gente que me aguenta sabe disso. Eu não esmoreço fácil com criticismos bestas. Em tempo: em Julho farei aniversário!!! Tá chegando a bat-hora mais esperada de minhas amantes ( 15! )....uhu! Falarei mais na próxima, Não existe tempo suficiente nisso pra uma gracinha com euzinha aqui... (risos ) Tchauzim...

 

       

      Quer saber? Eu sou é doida mesmo e menstruo por capitulos e nada de TPM, faz favor meus doce! ( risos, e batera responsa da hora! Uhu! ) Batuco que é uma beleza!!! Peace and love my dear...

   

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 30/05/2017 às 17h32
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 9 de 53 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras