Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

    PATRONO DO MÊS DE JULHO
              
                Aderaldo Ferreira de Araújo [1878-1967]  
                              - escritor brasileiro cego -

                
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
22/04/2018 17h43
Mona Astro eres Nauta!

       

O futuro ainda é das mulheres, como eu e outras vanguardeiras que estão por aí neste mundo louco e por demais machista...e tá dado o recadinho...miau!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 22/04/2018 às 17h43
 
20/04/2018 21h04
ueba! kkk ( SÓMENTE PRA 21 ANOS Façam o FAVOR! )

Ueba! Ainda posso brincar e dizer asneiras, né? Ueba então! 

Mais vale uma ximbica na mão do que dez mil picas na vagina!

Ah, dests vez fui demasiada indecorosa ou bem muito louca pra afirmar minha lesbianidade! Uhu! Doida é pra ver a cara de alguns moralistas de merda...

Ainda tem um pouco de macho bobão nesta pele feminina tão delicadinha...

Mas isso é sómente pra maiores desinibidos ou amorais, falou?

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 20/04/2018 às 21h04
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
18/04/2018 01h21
O que avermelha não vira azul

          Tem tanto de rosa tem minha côr, meu destino, meus patamares de vasto sentimento por outras. Cada côrzinha minha é do variado azul ao vermelho que me choca na hora do vamos ver. Até meu gozar oui orgasmo tem a côr delicada do azul clarinho, mesmoque fique arroxeado no final de um prazer a qualquer dia.

Caio na cama cansada de guerra, das batlahas frugais do sexo entre muitas, do amôr de coração e de mãe que disponho a cada noite recaída no sono. E sonho com paixão as tonalidades verdes, de cálidos primaveris, como esperança que só eu contemplo. Mas não devo pensar em mim somente...e horas de dormir são muitas pra acalentar esse sonho, o respirar pro dia seguinte. Hora d erepouso que me engrandece entretanto, Cansada, mas revendo as felicidades antes do fechar dos olhinhos meigos....

 De manhã o acordar, a alvorada de meu ser renovador, as poesias a transcrever direto desta cabecinha louca, travessa ou ferida como antes. O corpo a transitar do diam esforçando em permanecer jovem a cada minutinho. Ai, que teima a de meu pensar ditoso, clareado pela paixão livre por todas, essas pombinhas de minha predileção! Por elas faço de tudo e mantenho esta casa...pois é! Coração sem alienação porém convicto de pensamentos bons.

Que seja! Estou feliz agora. Bem inebriada por ver tantos rostinhos fofinhos a me deliciar as noites de conversas, os enlevos a cada jura quase sem ter de juramentar, delicadamente obscenas pra garantir tesão que tanto apego alivia desprazeres. Sou delas e elas por mim, o que sempre já basta.  

Já não me envergonho entre avermelhar-se de delicadeza fortuita ou ficar com olhos meigos, azulados de lágrimas de felicidade, o este não chorar por quase nada! Uhu! Tão bom ser mulher e gostar mulher e de florzinhas! Madre mia!

Durmo a cada repouso noturno, limpa de modéstia e desejosa do acordar. E ao redor o meu mundo num despertar diante de um rosto de moça dormindo ao meu lado. Face de cada companheira que não largo por nada deste mundo! e elas me amam com fidelidade anual eternamente sem corrupções. O meu amôr é padecido de tristezas, porém é enorme, materno, bem feminino que até assusta os anjos mais colibris. Ai, como estou poetisa fresquinha a cada despertar!! Afe! Não é mesmo? E são tantas cores debutantes...

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 18/04/2018 às 01h21
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
15/04/2018 01h09
Vamos à luta Shantae!

           Tem um game que me deixou fascinada e gamada! Shantae é um dos poucos games que me encantam sobremaneira. Tem essa personagem que troca de roupas, usa calças árabes de mulher de harém ( ops! ) e só enfrenta inimigos os mais diversos ou está nas mais loucas carreiras e rebola demais. Todo o jogo é um apoanhado de doideiras femininas, batalhas com os boss grandes demais - tem até sereia acorrentada mal agradecida! - e sua música envvoilve a tuido. tem cada trilha sonora que me arrepiou a nunca, assim me deixando toda apaixonada por cada personagem que aparece, que sejam mais femininas e tal, no rastro dessas trilhas amalucadas, Muito bom de jogar e ccomprei o game no escuro, pois sabia que tinha algo nessa personagem que nãõ apára quieta e dança por tudo! Usa o rabo de cavalo como arma, como poderm notar nas horas que joguei...dimais!

          Posso estar a ficar coroa e tal, mas ainda jogo muito games atuais, tanto no PC quanto no PS 4 Pro que temos aqui em casa! Vale cada tarde divertida, mas não ficamos só neste game da hora. Tem tantas opções! Nem sequer temos uma opinião ou um gosto pra uma coisa, e só preferimos bons games mais comportados e talvez os mais feminnos, claro! Se está na minha horta pe de todas que gostam!

         Uma guerreira assim é complicadad e achar ou acreditar que exista. E na vida real tem muitas bastabnte aguerridas neste mundo doido lá fora...de fato me identifiquei com a heroína muito louca do game em si e seu rabo de cavalo incessantemente erótico pra mim! Uau!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 15/04/2018 às 01h09
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/04/2018 11h28
Encargos, delicias, tudo assim

  Uma vez pegaram meu gato de stimação e fizeram festas nele adoidado. Nesse dia tinha trocado de armação de óculos e minhas amigas pegaram o coitado ebrincaram até se encherem da meiguice do bichano. Coitado do gatinho! Levou tanta apalpadelas quei ficou com os pelos parecendo trapinhos, kkkk!

  Foi um momento que me marcou, desde que acordei naquele dia, pois tive o encargo de cuidar de bichos em casa, afora os domésticos que tínhamso. Era um tal de papagaios, cães e rouxinóis que não estavam no gibi! E eram só hamsters, gatos velhos, até cães amestrados. Depois fui, à tarde, levada pra passear e ir para um certo depósito de animais aqui do Rio ( a Suipa ) e fiquei nervosa com isso, Mas me deram  a incumbência notória de ser cuidadora de animais da vez. Foi uma espécie de honra pra visitas Só que por um tempinho, claro. Minha mãe tinham me levaddo pra lá pra aprender cuidar de bichos, ser responsável, etc...

  Sim, foi delicioso o passeio, porque tomei sorvete, lanchei num desses bar-restaurantes de lá perto, arrumei a saia que sujei no depósito, depois fomos pra casa de táxi! Uma época maravilhosa pra se aprender sobre a vida, sobre mamãe atarefada em mem cuidar ou outras coisas que fiz, com as amiguinhas na casa delas quando as visitei nomesmo dia. Tive vários ensights de menina que sabe ser CDF e prafrentex naqueles tempos. Já prenunciava-se a minha propensão para o lesbianismo, meio inocente À principio. Eu amava as minhas amigunhas com todo coração! De verdade as beijava na boca sem malícia e elas me apalpavam o bumbum...bons tempos de alegria, renovação e muitos desejos! Aprendi a beijar na boca com muitas que hoje nem sei pra onde foram parar..e eu tinha uns dez aninhos incompletos!

  Desde bem mocinha fui sabida, crescendo no meio do amor da mamãe e da quase desatenção do pai que trabalhava sem parar. Só teve férias ao querer aposentar-se. Fui feliz em grande parte dessa infância meiga, alienada até. Na minha vida tive d etudo mas faltava amor de alguém pra completar. Nem eu sabia ainda se seri um homem ou uma mulher que viriam a ter comigo, a me fazer mais feliz ou casadinha, pois  chegava a hora de decidir-se isso quando mocinha em crescimento. E passou rápido esse estado de coisas, chegando já aos 18 e esquecendo as antigas ideações sobre responsabilidades, com os cuidados de animais e bebês dos vizinhos.Adorava os bebezinhos que minha mãe atpé cuidadava em favor de suas amigas trabalhadeiras o tempo integral. E foi dificil aceitar que estava virando moça, mulher em fase crescida, cheia de esperanças e com meus peitinhos bem pronunciados. Ui! kkkk

  A delíca da infância eram brinquedos, sorvete, chocolate, TV à cores ( um luxo naqueles dias! ) e minhas bonecas d efeltro ou plástico, E ainda tenho elas aqui comigo, todas cuidadinhas e amadas até por minhas companheiras. e são 16 pra tomar conta! Uau! Eu não sonhava em guardar as bonecas que tive para ver elas serem paparicadas por outras moçoilas de meu porte...! Ah ah ah...demais ter sido filha com tantos mimos que quase me fizeram mal...

  Lembrar é se cuidar. Ter é o que permaneceu. Assim foi o que sobrou de minha mocidade mais tenra. E tinha d eser CDF, neutra em mil assuntos de homens, a mais querida que usava roupitas as mais doces e delicadas. Eu era é uma feia rosinha sem espinhos - ah, das espinhas eu escapei ilesa! - a cudar dos estudos, asseio pessoal, a crescer os seios delicadinhos, fugir dos taradinhos da escola e obedecer aos ditames alienantes do ensino de então. Porém tive experiências emocionais e sexuais em demasia, só pra a prender e saber como se faz isso ou aquilo, sei lá...e nunca transei com os rapazes, só na cuia experimentando um e outro eventual sexo oral neles e negando sexo normal como se deve. Nunca vi nada de errado nesse fato promíscuo, pois fiz muitos carinhas felizes - só os feinhos e maltratados - com essa "boquinha" santa...hoje nem quero pensar mais nisso, eca! Ah, mas gostava do ato libidionoso por prazer; por ser ainda uma mulher dengosa e bem altruísta em formação, e era algo mais a ser até brilhado, apurado...e meus gostos lésbicos se acentuaram depois de formada e tal, mas é outra história...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 09/04/2018 às 11h28
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 6 de 67 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras