Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

PATRONO DO MÊS DE AGOSTO     
       
           Salvadoir Dali ( pintor espanhol )
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
03/06/2017 20h49
Amor reductível...kkk

       Sele o preço de pagar o amõr devido. aquele que nunca virá até você, e que nunca sabe-se terminar feliz. Acredite se tento ousar ser amorosamente louca ao explicar essa coisa, da indefinida poetisa lésbica graciosa. Isso tudo me afeta e tenho amôr menos de sobra pra dar a outros que não conheço, Um dia entenderei melhor esse negócio. Espero... mas eu pago o selinho!

      Eu sei q ue sou amada pro gente miauvilhosa, outros que mal reconheço aqui do meu lado, outras tantas que me abençoam com sorrisos ou agarramentos. Eu a todos deliberadamente gosto o bastante pra a gradar. E se tento ser menos lésbica por afetação íntima, tanto mehor. Tanto faz. Sei lá. Compreendam que o amôr é único que se multiplicará nessa minha vidinha tentacular. Agradeço se alguém achar algo melhor que a mulher do meu feitio. Sério isso! E sou demasiado livre pra dizer tais coisas sim. Não há outra igual a mim. Infelizmente...

      Já tive recaídas por recuerdos de amorespassados m´[asculos e tolinhos. Nunca é demais dizer que sou afetada por isso, Se bemque tais recaidinhas sejam só passageiras formas de transar a vida com mais maÔr dificl. COmlico muito os meus princípios, mas nunca terei duas caras. Longe disso. Se tenho realmente atitudes bisssexuais ( amo de qualquer frma que me aceitem...se é que posso!  ) não é culpa só minha externamente. Dentro de mim a psicologia da mulher poeta, a mulher amiga, aquela  mulher além dessa filha sem sua mãe falecida. Sou amiga e amante. Suave e redentora, talvez mãe de minhas namoradinhas felizes. De certa forma sou grata por estar assim tão falante, por dizer sem temor que sou esquisita mesmo, louca aarivista dentro do quarto e dcoisa e tal. Mas fora dele sou mulher feminista ( sapata deliciosa... ) muito da cautelosa. E daí que adoro um sexo igual ao meu. E se outro aparecer que seja feminino, operadinha, transex, eu não duvido e vou fundo. Ora, pra que vivo se amar é meu salutar entendimento com minha própria prosa de vida? Nada decvo a terceiros, portanto. Pode ser até hermafroditas, porém homem mesmo detesto de ver e sentir por perto. Infelizmente eu recaio na armadilha e me entrego sem gozar, se eu quiser, hah! E Será chulo dizer isso? Não!

      Se tenho dois lados loucos mada admitirei. Contudo eu até adoro relação a dois ou mais amantinhas nos lençói ( ui! ) e um pu putro afeminado transexual que idolatro demasiado. Gosto de ser uma bissexual às vezes, se der. Entretanto tal recaída tem seu preço e logo de manhã acordo me sentindo pobre de ter de trocar fluidos corporais sem motivação maior. Engraçado mas fere muito de mim. Tirando essas doideiras sou até normal quando se trata de lesbianismo ferino contumaz e mais calminho. Que se dane as convenções! Sou assim e não mudo de porto! não  largo o sapatnho.... ( risdos )

     O amÔr não encontra subsídiops pra ser indefinido. E tem sido aasim em todas as idades, mitologias ou arregos hipócritas. Mas adianto que isso é só uma de suas mudanças na vida de alguém. Achar um que mereça é incompreensível, porém eu prefiro múltiplas escolhas. Livre, leve e relevante. Simples assim. E nesse  entanto, o amôr complica deveras em vasto nível de feminilidades ou de masculinidades, Sei disso por estar por baixo, de lado ou acima ( hummm ) de cada amorzinho serelepe que me vem ao quarto. Cedo meu amôr materno ao amôr fraternal esclarecido. Sou um anenteida não é? entonces estou certa ser o que sou. Pudera ir mais longe...e eu amarei todos que encontrar devidamente a seu tempo, claro!. Afffff! Quando se ama estou disposta quando me apetece e ponto final! 

   E existe tantas formas de amôr, mesmo que intolerantemente tenha vindo de terceiros mal versados nele. Eu adoro e amarei sempre as minhas concubinas sabichonas de meu círculo restrito de comunidade própria. Fizemos isso como pacto entre nós, sem arregos ou picuinhas exageradas, como ocorre em muitas variações de relacionamento. O amôr amigo. O agravo do amôr ciumento. O do amôr conjurado entre irmãos, pais ou afilhados - como exemplo peculiar. E tem o amôr, sem dúvidas, que se sacrifica por maiorias sem cobranças. O amôr divino ( deusa! ) que duvido alcançarmos na atual era que vivemos.  e afinal o amôr dos individuos, além do coração fraco e tempo empregado. Por aí vai, sei disso. E estou consciente do que digo, sempre!

   O amõr animal entre homens e bichos já é mais outro nível supremo acima do meu. admito mesmo. E das mães é o sublime que ainda não  me aflige com a tormenta necessaáia pra isso. Sofro em parte por tentar só o amôr conjugado e ser feliz portanto. Dentro de mim carrego a mãe das minhas dores futuras, pois sei que serei solteira eterna de algum modo, já que casar está longe dos planos de nossa comunidade cooptativa, e ajo de acordo. Se pudessemos casávamos todas de uma vez e eu sendo a 'abelha-rainha' dessa colméia "deliciosa" de meus dias, kkkkk. Mas o tempo, as leis e o mundo dos homens nos embotam nesse sentido incerto. Assim que estamos é melhor, acreditamos. ( risos )

   "Pois é, o silêncio é de ouro, o eco prematuro e essa saudade imutável..."

   Faço silêncio em prol daqueles que sendo muito desprovidos de amor maior são atacados pela doença mais terrível de todas: a necessidade de ser amado! Snif! A eles choro às ocultas no quartinho, pois nunca se satisfarão em sua breve situação. E eu me vou aqui, pensativa, claro...

                                

                                  

                            Ai  ai ai ai ai ai, é duro essa moleza....kkkkkk

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 03/06/2017 às 20h49
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/05/2017 17h32
Mais um dia e mais estradas

        Agpra estou bem como poetisa e coisa e tal. Entretanto falta-me ir longe em muita coisa deixada ao Zeus dará. Continuo na ofensiva, lindinha com queixo grandinho, sorriso sem vergonha ou até faladeira demais. Mas sou mulher e eu tenho de ser mais de meu jeitinho sapeca de ser. Poeta e até levadinha da breca, pode ser? ( risos )

       Ainda assim escrevo pouco por aqui, mas em vastos diários pessoais físicos escrevo demasiado. Tem de ser, Parte de meu acervo de belas prosas e bonitos versinhos ( ui, modéstia! ) contoinuará inédito na "delicada" Recanto, por motivos óbvios contra possíveis págios ou etecetera que tal. Parte de meus escritos est~´ao no papel. E eu escrevo mais coisas do que tudo que digo ou refaço aqui neste site. E assim será. Uma hora qualquer virão à tona...e la´vem o mundo contra mim...afe! Sei não...será que devo?

     Manterei o sorrirso e a caneta em dia sempre. OS diários físicos guardo na minha escrivaninha, mas somente miinhas queridinahs amigonas d ecasa podem ler o todo de minha obra em vida. Deixo e confio. Entretanto confio no sigilo delas quando se trata d eintimidades escritas, nunca reveladas a público até que eu decida expor melhor. Isso jamaos ocorrerá, creio eu, durante parte d emeus restos dilemas pessoais indevassáveis. Por um acaso vier a hora, eu morrerei deixando parte disso tudo à posteridade, porém é cedo salientar isso.

     Alegrem-se. Estou disposta e menos corrosiva. Gosto de suaves segredinhos ou doces momentos de ternura sensual ( beleza isso! ) das mocinhas. Escrevo por elas, e grande maioria d emeus enlevos são em dedicação à minha mãe que se foi de forma efêmera ou indelicada por parte da ciência médica capenga. Eu faço por minha mãe certas elegias, ou homenagens lícitas muitas vezes ocultas e veladas, o tudo que posso. Até nos meus diários pessoais verdadeiros saliento demais essa postura. Oque uenão falar por mim, meus escritos amargos o fazem constantemente. Mesmo em versos que conduzem a outros "chamamentos" emocionais diversos são contribuições à memória dela, pra todo sempre. Certo que nem toda poesoa de meu ser se baseie nisso. Parte de mim mesma e dos meus sofrimentos não ditos, além do aprendizado de vida, está nos versos ou prosas que "convoco" aqui. E dizem sobre mim o muito que eu possa dizer pesssoalmente. Mamãe eu sempre fomos afinal ligadas a esses extremos por carma ou outras coisas de mulher. E tudo isso escrevo nos versos em diversos modos. Tem de ser assim mesmo. Ela ainda está do meu lado de algum modo.

   Enquanto isso...

   Serei a poetisa ou sou poetisa de incomum trato? Sou ou jamais serei poeta de saias com amor devido ou delego maneirismos nos poemas mais belos de minha lavra?  Estarei certa ou coberta d emaus louvores por agir sme pensar como toda mulehr erudita sem fronteiras? E respostas pra todo meu sopfrer e penar diário em vida, cansada de"guerra" mundana, que deveriam vir? 

   Não tenho respostas certas. Nem sei me julgar devidamente. E já me chamam tanto de maluca, omissa, doente e anacronismo sexual.  E são tantas respostas fáceiis, pueris e desonestas que voltam-se contra mim. Entendo tudo e repito que sou o que sou, não mudo vírgulas e nem extirparei os ovários por isso. Eu ainda tenho integridade demaisado grande pra cair na esparrela dos babacas que me acusam disso ou daquiolo. Danem-se. Escreverei certamente por muitos motivos confessionais ( ou não ) em tudo que deixo escrito na Recanto e outros algures.  E não sou assim Portuguesa, faz favor! E eu até gosto é muitissimo das portuguesinhas.... ( risos ) e é diferente...beijos de Alentejos... ( risos )

   Vamos embora que vai mais um mês en nossas vidas pra celebrar poesias e boniras palavras. Minha gente que me aguenta sabe disso. Eu não esmoreço fácil com criticismos bestas. Em tempo: em Julho farei aniversário!!! Tá chegando a bat-hora mais esperada de minhas amantes ( 15! )....uhu! Falarei mais na próxima, Não existe tempo suficiente nisso pra uma gracinha com euzinha aqui... (risos ) Tchauzim...

 

       

      Quer saber? Eu sou é doida mesmo e menstruo por capitulos e nada de TPM, faz favor meus doce! ( risos, e batera responsa da hora! Uhu! ) Batuco que é uma beleza!!! Peace and love my dear...

   

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 30/05/2017 às 17h32
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
27/05/2017 17h27
De bem com vida

Isso resume tudinho de dentro de mim, né minha gente gentil e sabidinha?

Por hoje o dia tá bom, as certezas carregadas, os amores pendentes e minha vidinha ttranquila por ora. Ainda vou mais longe - como sempre digo.  Se vocês emnendem meu mundo e meus peculiares apetites u sonhos distantes, então tá tudo bem por aqui. Ótimo demais. Beleza pura!

Até maIs, meus caros convivas de fora ou críticos de meu diário peculiar..passar bem gente!  Uhu! Miau!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 27/05/2017 às 17h27
 
24/05/2017 17h36
Instante Amiga

   Um pouco de mim pra você, este que sempre me acompanhou e até ama meus passinhos, com desenvolvida catarse ou combustível de minha parte. E te dou o melhorzinho que posso oferecer, nada mais nada menos. Uns instantes de alma valente, tesão da vida ou que quer que seja . Por mim me ame muito com candura, com adoçura de ser humano que sei que somos...vamos nessa:

   - Ame o que o coração desejar, leia  nas entrelinhas cardiovasciulares d eseu maior amor, sonho ou desilusão que convier. Te mando rezas taçlentosas por você se abrir com o mundo. Vai por mim.

   - Faça a alma despertar a cada sossegar das horas e no descanso de sua labuta mesmo que incansáveis sejam tuas mãos trabalhando. Eu te amarei distante por isso ser seu talento, sem nenhuma outra intenção maior. Me respeite se pensar que sou dessas malévolas por aí...afe!

   - Leia mais e de tudo que der na telha por sua vontade e desejo. Leia e só me alcance  na estrada que nos fará gerar o encontro, se acontecer ou  não. Quem sabe?

   - Siga mesmo o coração. A estradinha insone pra vida dele merece confiança. 

   - Não se ame demasiado. Pense em terceiros que parecem folgados na vida.

   - Alcance a sabedoria, pois ela demora e sua benevolência é tão distante...

   - Pense bastante em mim - com ou sem ereçãom ui! - como a sua tutora, sua mestra inicaidora, sua maruja mais acima do convés. Navegaremos bem na imaginação e de algum modo te amarei devidamente. Algo de mim te guiará com beijos, abraços, agarramento se quiser. Mas te aviso que não gosto muito de homem complicado não...kkkkk que horror!

   - Ouse desafios, ouse o suficiente pra abalar um mundo ou um reino. Desde que esses troços, sei lá entende, estejam amis perto do chão e nunca voe além de seu  ninho extenso. Não duvide de si pois eu vou te bater por isso se não o fizer, malcriado! Danado...

   - Me dispa começando pelo mais belo vestido meu, de brocado, saia rendada e calcinha grande. Nunca espere que eu aja como mulher, pois sou a poetisa gentil, a fada dos verbos enteados, da palavra que alcança qualqiuer céu. Só n~poa poderpa casar comigo, pois nunca ame entregarei além do inusitado. Óbvio que isso é uma parábola pra despertar teu ego maçante. Sei lá, sexo não rola não...humpf!  ( risos )

   - Fique comigo na palavra, no que te digo te amando aqui distante, mesmo que eu não te conheça, querido amigo leitor. Serei teu fiel da balança e te direi boas novas. Volte carregado de jóias decentes de saber. Ao ler demais e saber do que canso te dizer, aprenderá minha receita de bolo fofo. Entenda a filosofia de um poema e estará no bom, caminho, espero...

   - Não sou linda, mas dou conta do recado com meu queixinho altissonante. Eu te peço que compreenda a si mesmo, se respeite na senda do méritos, jamais caia em frivolidades por mim. Leia a minha prosa e um dia mande-me carta, e-mail, sua camisa nova ou bombons muito caros. kkkkk E me divirto.

    - A vida passa rápido em sete passos. Eu ainda não fui além do quarto, se é que me entendes mulherzinha do meu coração. Eu me refiro ao lesbianismo com arremate de humor "enchanté". aguente firme minhas vibrações simpáticas. Na quinta estarei jardineira e florescerei madura mulher de outra. Sem fornteiras, sem desternura....sacou? 

   - Sim, sete passos, ou me estenderei mais. Os primeiros três passos a gente compõe ao longo da vida realista, quando jovem e sacaninha. O quarto passo diz respeito entre a escada, um quarto e algumas caminhas doces arrumadinhas. Nessa hora nada de compromissos, mas beije os lençóis após o sono. Um sonho dorme por ali e basta pegá-lo e entenderá que terá de amar ou correr atrás. O quinto desses passinhos não exige tênis, mas o conforto de suas vontades, a proeza de ter aprendido a poesia da vida e o prazo pra aumentá-la. Entenda parasoxos e entenderá os outros passos mais complexos!

   - Tente ventender a minha sintonia e serei menos louca pra todos vocês...  

   Noutro dia termino.  Juro que sim, neu docinhp!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 24/05/2017 às 17h36
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
19/05/2017 13h59
Uma luz e múltiplas escuridões

    Convenhamos: há mais coisas entre um celeste feminino e estas terrinhas dos homens do que supõe minha poesia no divã. E mulher é a que sofre combinada ao seu paraíso ilusório de sonhos ou padecimentos. Confesso estar errada mas acerto muito em compreender e se fazer compreendida. A composta realidade é confusa, entrincheirada ou machista impedimento. Ser mulher de avanços é tentar entender mal os apetites, os desejos e as verdades ou viver a vida. Nem só disso é o meu diletante aprendizado na VIDA. Mas eu vivo neste mundo de contrariedades masculinas as mais bestas. Tentar essa tal viagem humanista já nascendo fêmea a cada dia é um sufoco...OMG!

    Tento entender ( ou estender, sei lá... ) os aspectos do real que me cerca. Nós aqui vivemos em comunidade - a minha mais deliciosa comunidadezina, tenha-se dito - só de mulheres afins, determinadas a menos sexualizar o todo que nos cerca. Pois temos os prazeres intelectuais ou até filosóficas típicos dos homens compreensivos - se ecistem são poucos - de todos os tempos. E eu não serei  a única com esse "egoísmo" peculiar dentre nós. As mulheres que somos estamos em outro patamar, além do lesbianismo evidente ou as afetações de nossos sentimentos mais caros.  Isso seria irrelevante se acaso eu caisse ( ou se acaso caíssemos ) na armadilha doméstica escravizante de casada com homem. Argh! Coisa que me deixa nervosa, e só de pensar nas mil consequênicas edêmicas desse meu amôr complicador, seria uma loucura! Os casados não se permitem ao luxo de conviver em serões à noite, namoricos de mulheres lésbicas à tarde ou deixarmos a casa pra trabalhar como se deveria - homem algum, apesar dos modernismo deles, aceitaria isso quando casado com  uma intelectual do meu porte. Estou acima dessa mediocridade feminina tão comum nas recalcadas horas de suas vidas. Tem algo errado nisso tudo e eu sei! E posso estar demais enganada em primeiro lugar. Mas não gosto de homens e ponto final. Já tive experiências malfadadas demais pra ir nessa jornada ocidental tão comum de casar e acabou-se. Diabos me livrem! Saravá!

     Aprender a ser mulher íntegra e sabida  é aceitar que o tal paraíso inexiste, que este nunca foi determinado e jamais será imposto como absoluto devaneio humano. O Paraíso dentro do lar é impossível, tamanha é a necessidade de se complicar as nossas vidas neste mundo. Mulher, não acredite nisso! Casar nem sempre é a resposta aos desencantos das novinhas inocentes. Essa meninas tem a maturidade desde os cinco estabelecida em parte. As mulheres sempre estão evoluindo e já nascemos quase maduras de certo jeito. Entretanto parte de nossa angelical impostura inicial cai fácil em armadilhas emocionais frágeis. OS homens mal sabe disso porém agem a nos "pegar" na hora certa num momento errado de parte de nossa evolução na puberdade. Muitas caem no logro e se partem pra ter o coração preenchido com seu contrário. E a sexualidade fala alto nese momento. Os hormônios nos tornam uma peste doida pra ter pinto no meio do rego e deixar-se enganar por um sexo intenso complicado. E eu já não caio nessa faz tempo. ( risos ) Eu sou poderosa, já disse...nhac!!!

     Certo. O paraíso paternalista é uma falácia. A jornada é que é a mais dificil, minha irmazinha que me escutas. O outro paraíso - o do casamento que hoje está deturpado e alegremente a fazer desventuras para a hereditariedade. ufa! - a qual te conduz à paixonite, modismos ( querida patricinha de meu coração, ui ) e outros lances de adolescente em seu final pungente, pois isso tudo te iludirá sempre. Eu não acredito mais na instituição besta do casamento a dois e você está desde já de sobreaviso sobre os perigos da engorda doméstica sem graça. O que arruina isso é o cimentar pelo resto da vida dos sentimentos de antes e das liberdades joviais de antes. Assuma uma carreira, viaje, evolua, trabalhe e não se deixe levar pelas armadilhas emocionais frívolas fáceis demais - sejas uma mulher como se deve! E eu só espero que nem sempre seja tornada uma lésbica que ande com outras que façam a sua cabeça sem motivações além do sexo. Longe de mim querer te influenciar minha queridinha...longe de mim...

   Tenho meus motivos pra ser lésbica endireitada em comunidade. Somente não assumo  um harém mais delicioso, porque tal coisa não acontece de imediato a toda hora. Somos é organizadas, Temos prioridades femininas diferenciadas até do feminismo tão mal apregoado aí fora.  Se tenho umas 15 que me amam como a "abelha e rainha-mãe" ( risos ) em nada posso evitar. Gosto de todas e dou-lhes muito conselhos bem 'leves' pra vida. Já gostei muito de homem, de pinto, de esperma ( ugh! ) e peitos cabeludos ( arre! ) - contudo fracassei no ímpeto de ser boazinha demais ou aquietada demasiado. Porém jamais serei uma boa mãe a não ser quando ficar velha com peitos caídos. Um dia darei colo a crianças que nunca serão minhas, mas tenho amor materno de sobra à espera do dia certo pra isso. Cuidarei, talvez, dos filhos que aodtarmos por aqui, se é que me permitirei a isso - e  eu gosto MUITO de crianças apesar de tudo mesmo...adotar nem sempre é opção, eu acho. Filhos dos outros é mais bacana.

    Certo também, Eu me alonguei um tanto. Mas o meu tesão de escritora não pára! Sinto meu dever esclarecer uns pontos de vista da gente por aqui. Temos regrinhas soltas sobre muita coisa que nem sequer descrevi ainda. Essa jornada no mundo me faz querer ir longe, meus doces. Espero que muitas que me lêem entendam que sou diferente em muita coisa. Sou a poetisa, escritora iniciante pura, sábia por vivência própria e dedicada ao meu pequenino mundinho cheio de moças compreensíveis e demais inteligentes. Somos umas privilegiadas, mas algumas irão casar e em nada posso impedir, tal é a natureza feminina que nols comove. A armadilha do permanecer eterna enquanto duramos jovens nos deixa velhas demais antes do tempo. Por isso não caso de jeito nenhum! Com homem não! Casando a gente estratifica-se e paramos, e aí é tarde demais enfatizar ou evoluir a nossa alegria de viver quando novinhas. E o tempo passa rápido, o tempo voa, e a poupança gelatina continua numa boa...( risos ) Sai dessa! ;P

    Ao "empedrar" o  nosso ímpeto jovem iniciante estaremos casadas com as responsabilidades enjoadas de casal. Não quero isso, e é pra deixar bem clara a minha posição ( epa! ). ( risos  marotos... ) Casar nem pensar! Eu prefiro casar com mulher e ter uma "marida" na minha vida, se é que é o certo....

    Digamos que falei o que queria e como eu deveria de ser. Minha vida em uma comunidade própria, num casarão tão nosso intensamente "vivo", segue com amôr ou distinção. Um dia haverá mulheres que aprenderão a lição e criarão vastas comunidades futuras do nosso tipo, femininas e feministas como segunda opção. Um monte de mulheres a dedicarem-se a grar mentalidades livres de machismo ameaçador ou diabriuras emocionais de casório imediatistas demais. Um único meio de lutar por nossos direitos de um "país" -  quem sabe nações matriarcais - melhor pra fêmeas que se consideram iguais em direitos completos diante dos hoemns. A luta é incessante, pois. A humanidade futura depende  de fatos assim.

     Quando  uma mulherzinha ( ou várias ) se desperta e vira cristalina vivência de conhecimentos, ela subverte o cosmos cismado da masculinmidade. Se ela estiver acima do lugar comum, ela se torna euzinha aqui! ( risos ) Uma valente durona que tem belezinha e queixo grandinho e adora mulheres miauvilhosas no seu aconchego, que direi quentinho e muito sentimental. No meu lar e na cama temos espaço pra conviver deliciosamente, como quiser o nosso topetinho... ( risos )

    Sem mais. Vou indo minha gente! \Beijocas em todos! Hummmmmmm...

   ADORO SAPATARIA!!!! DESDE que sejam belas.. ( risos finais ).


Publicado por Jurubiara Zeloso em 19/05/2017 às 13h59
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 5 de 48 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras