Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

    PATRONA DO MÊS DE ABRIL                   

                 Simone de Beauvoir ( escritora )
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
17/02/2018 17h28
Achado na memória de um tempo

   Um minuto de retirada por dias de meditação sui generis...mas eu estou de boa e na minha! Até mais meus caros...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 17/02/2018 às 17h28
 
14/02/2018 23h16
De maluca nem um passo!

     Tenho ligações boas com a jardinagem, as flores queridas e as plantinhas de meu ou nosso coração. E ainda tem as fadas, gnomos e seres que vejo mas a ninguem mais conto sobre isso. Segredo a ser desvelado ao longo dos diários que tenho, físicos ou digitais. Conto até pouco sobre isso, mas a minha relação com a flora e a fauna de meu jardim é dos gatos que temos para as árvores que avançam pra além dos muros caiados de nosso casarão. E n~sao imprta, póis temos ao nosso lado essa varanda que nos permite curtir um café ou um aronda noturna olhando estrelas no céu. Com as plantas me dou bem, curto jardinagem como já disse, e parte dessa cultura nos comove nas tardes de Domingo. Muito bom. 

      De certo modo eu tenho visão diferenciada das coisas, sou poetisa querida, amamentada por um arealidade que machuca ou até dos amores que edifico ao longo da vida. E tem as minhas meninas, meus gatos, meu trabalho e nos muitos afazeres de sempre, Sou perceptiva sim, eu sinto ou prevejo as coisas, contudo nada falo dessas coisas por ora. E tem esse fato de que eu vejo na realidade aparente de um jardim ( qualquer que seja!)  um universos de raras belezas naturais. Sinto as fadas, as ondinas, os gnomos e seres adversos em muitos cantos dda casa. Estamos alertas e todas querem ver, mas tem umas senhoritas aqui que idem vêem os mesmos elementais. São graciosos e nunca me meto com eles em seu sagrado silêncio atemporal. As formas deles me são sutis, entretanto não dá pra descreve-los na mais ampla acepção da palavra "descrever"! Assumem as formas e não ouso estipualr como são aqui hoje ou amanhã. Que sejam felizes em seu meio, porém nãio me meterei em seus laboriosos encantos ou deveres. Sei lá, devem servir para alguma coisa onão percebida ou servir a alguma coisa mais que não sei.  

     Posso até estar maluca pr amuitos, fora de si ou sequer normal em meus estados de consciÊncia que me abatem. Sou mais pé no cchão, mas jamais lunática na mais grosseira baixeza de dizer. Não me acho doida ainda, pois falta-me muito pra isso! Sim, eu vejo, nada falo e participo calada. Rodas em meu amniente doméstico e algumas quase fora de casa sabem dessa minha verve mística, poética não-chamativa de atenção pou esuqisitice de matrona não casada. E é tanto o que dizem de mim, mas de assim amalucada nunca me chamam de frente, ainda bem J´anão ligo muito pra isso mesmo.

     Esse lado sensível, meio mediúnico, e tantos mais fatos ( ou fardos? ) que desconheço ter, devo ter herdadoi de minha mãe querida. Sempre fomos muito ligadas, amadas, cúmplices  de um realismo mágico em nossas vidas. Tenho sim dons deprofecia, jeito com os animais de todo porte, simpatizar fácil com crianças e por aí vai. Direi que sempre sou um abruxa peculiar, uma mulher de vanguarda, plena d emistéiros que sei e nunca digo inteiramente.  Que se dane que me chamem de lçouca arrivista ou epítetos que tais. Hah! E d efato me consiodero especialmente meio feiticeira em determinados momentos qu eme são estranhos, no trabalho , na vinda pra casa ou amizades novas que faço num repente só.   Claro, dado as devidas proporções de meu modo de ser, trabaho na surdina, caluda, sem chamar atenção e sou muito atarefada no que faço.  Quem me conhece me acha normal até demais!

     Na verdade resguardo sonhos, visões, desejos e anseios - quer sejam mórbidos,"tepeemezidos" ( afe! Essa TPM mensalista d emeu ser... ) ou os vangloriosos risinhos - mas nunca revelo-me inteiramente por esse patamar. Estou "amarrada" a conceitos e não posso espalhar demais o meu universo além do umbigo bem limpinho. Como uma iniciada em segredios esotéricos mantenho sigilo sobre minhas reallções íntimas com a natureza. Sou muito sensitiva na integridade de meu ser. Não me acho alpém de humano ou meio mulher fantasiosa ou pseudo-míistica por sinal. Sou oque sou, entretando me resguardo sempre, e somente aqui  na Recanto me deixo aberta a tudo. E tem de ser assim.

    Olho as flores, a maturidade de seu caule, o tanto que necessita, a alegria de lhe piodar na hora certa, lo bastente de minha jardinagermpra alegrar essas plantinhas salutares. As trato como meninas como deve ser. Crianças d emeu arraial encantado, no silêncio de meus medidativos pesares. Obrsevando cada flor como uma "bruxinha" boa, rindo com o Sol, fazendo piadas com minhas companheiras nessas horas, e todas sabem disso mui bem. Ninguém que sei me censura ou se atreve. Estou livre em meus divagares jardinais. E olho bem o mundo, jamais ficando alienada por esses fatos naturalissimos! Sou talvez a vanguarda de uma verdade matriarcal adjacente ao futuro feminino de nós todas. Eu não piso enferma em flores nas horas más!

   Posso ser a sonhadora da vez.  Uma delicada e delirante moçoila quarentona que convence o real com arte, devaneio, loucura boa de saber ser o que sou. O meu eu deve ser mais que isso. E de meu ego carrego maturidades. Dessa natuireza que me cerca retiro o meu ( e nosso ) bálsamo inquietante. Debuto talvez entre planos do ser que não é anormal ainda de especular ruim. E eu, pense o que que quiserem, vejo mesmo elementais desde menina. Nada vejop de mal nisso...e ponto final.

   Tudo isso me garante um esoterismo próprio. Uma vantagem do espírito nobre que me inquieta desde mocinha e tal. Realmente nada de mau eu sinto em ser assim, diferente e esquisita. Claro que meu hormônios e o meu trabalho estafante a cada dia podem contribuir um pouquinho nisso. E eu não tenho é certeza disso, pois mesmo vigorosa ou confiantemente saudável por semanas, eu vejo muita coisa além do comum. Olho a face das pessoas  e te direi o seu tempo de vida, vejo ciranças e sei de seu futuro, amo a muitos, faço amizades como um instântaneo de fotografias e vejp na em inpúmeros jardins essa "tropa" de elementais em tudo! Ignoro às vezes esses fatos, contudo mesmo assim eu não me deixo enlouquecer ou coisa menor. Afe! Sou muito correta e séria em certos momentos pra cer nisso uma divagação da mente, eu sei. No entanto não sou louca de jeito algum, e não poderia chegar a esse ponto. Pois qual é o louco que escreve bem, procede bem, fala bem e lê dúzias de livros com várias correntes de pensamento e de línguas? Impossível de qualquer maneiras!

   Deixando delado o tanto que me afã de reveler-me nesse quesito, eu julgo bem que devo incluir tudo isso acima ( e outras "cositas" mais de meus enlevos ) no meu extenso rol de excentricidades,  Prefiro ser assim e não mudarei!

   Estou firme no chão, trabalho, tenho amigas ou namoradas, portanto não posso estar fora de mim, a todo momento, numa hora dessas, numa realidade brazuca dessas! Ora que coisa...

   Vamos lá, que a viajem de minha vida continua nesse Recanto querido de minha vidinha! Vamos prosseguir adiante, pois mais tarde, nos muitos lugares, literários ou não, falarei com maior amplitude sobre isso tudo que disse mais acima...

  Adios muchachos!

   


Publicado por Jurubiara Zeloso em 14/02/2018 às 23h16
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/02/2018 01h11
Tempo de obras e esperas

   Nossa como estou atrasada por ficar dias sem escrever aqui! Não pude evitar pois estou num trabalho de secretária senior adjunta que  me toma os dias e até umas semanas com preocupação exasperante em vários dias úteis de serviço. Demais da conta, mas tenho de me manter ocupada nesse ano que se iniciou complicadinho...tenho de ser séria demais dessa conta mesmo...

  Espero, mais dia ou menos dia, ter um certo sossego pra só expor questões pendentes e falar demais de minhas recentes aprendizados costumeiros, mas no entanto bem interessantes de se fazer colocações! Espero retornar com mais vigores aqui no meu diarinho, E o tempo urge pois quase vai terminar este Fevereiro doido e chegrrá um Março mais laborioso! Pois tempo parece urgir e não muito rugir...eu hein!

  Deixo aqui minhas reservas por ter perdido tempo desde o final de 2017, pois tenho que repor muita conversa desperdiçada e fáceis de lembrar. No entanto me esfroçarei em por em dia constantemente o que não estou fazendo desde já! Me basta ter tempo pra isso, e se o trabalho ficar mais levinho farei de tudo pra colocar as coisas nos eixos. Pôxa, tenho é tantas imagens, falas, risos, comentários, poemas e textos desiguais pra colocar  nos eixos.. e sem falar quemeus compromissos com a comunidade estão parados por força externa alheia ( e necessária ) ao meu bom viver de mulher ocupadinha...kkk e nem sei se me entenderiam isso tudo acontecido pelo tanto que me folgo em falar tão pouco ultimamente..ah, mas estarei indo demais na  locomotiva da vida! Uau!

   Quem estiver lendo entenderá o tanto e o quanto está ocorrendo na realidade presente - a qual não se ausenta, infelizmente - de nossos dias! O tudo mais s ecomplica nesse "jogo" mundano de ser gente, pedestre, pessoa, mulher e CDF de costume. O que se passa por lá fora me mete medinhos, mas não os tormo por modinhas de falaçã entre nós aqui! Humpf!  Perda de tempo falar tanto de notícias ruins em tempos bicudos demais. AFE! 

  Continuemos minha brava gente de costume...miau sempre!

 Aimda assim consegui dar uma satisfação hoje ao meu diarim coitadim...kkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 11/02/2018 às 01h11
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
08/02/2018 20h50
Voltando modificada! De corpito e a alma Fanta! kkkk

    Voltei minha gente adorável e tecida de mil felidicdades por mim! Ueba!

    Estou de retorno de Viagens a mil lugares que tais e coisas bacanas que fiz, mas não direi tuo, pois tenho segredos e boas  novas pra frente! espperem que logo ttomarei fôlego e irei mais longe do que antes. Podem mesmo apostar meus queridos! E que boas novas fresquinhas que só vendo! Genial esforço, por demais atômico, elétrico, interessante sim! Logo verão!

    Deixem-me poupar meus pés e argumentos ea diantar que sou usmamente feliz por ciontuinuar numa comunidade minha e e de todas que me ama aqui! Demais da conta voltar e rever tudo que ainda falta nos deixar completas. Mas estou radiante, amada e mais capetinha do que nunca, lendo muito e pretendendo escrever muito mais pra frente! Ser uma CDF, traça de livros e moçoila sabida é estar na vanguarda do matriarcado que almejamos na vida. Ser mulher já não é tão contratempo e desvantagem assim, e éoque espero sempre. Pois o que me falta de acertos eu tenho bastante desacertos, mas eu dou a mão à palmat´roia como semrpoe faço. Escrever sobre tal e tal coisa é ainda esse bom mottivo de estar aqui vivinha da Silva! Miau!

    Uma viagem, várias jornadas - assim foi e pretendo que se faça acontecer. E as minhas doçuras daqui não me deicxam mentir s obre oq uanto aprendi indo pra cá e pra lá. Entretanto  nem entrarei em detaljhes por ora. Ai ai ai! Deixem-me descansar dos tropeços de outros lugares miauvilhosos que visitei...ui! Ou vai ou rachou! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mas tranquilom tranquilo...

   Volto outro dia com mais empenho, claro, clarissimo! kkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 08/02/2018 às 20h50
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
13/01/2018 21h14
Embate Extendido

   Duas que se conhecem bem, apesar de eu ter tirado o desenho de seu contexto e lugar e tal, que eu nomearia de uma batalha bem secular de sempre, peculiar e indistinta da verdade que é. Muito doido especificar mas direi o que admito ver ali e que de fato me diverte!

   A luta entre a verdade pequenina, que não se entrega, não necessita armas nem de arremesso, e ela usa de suas diminutas gotas de gratião que romperá os apelos de destruição de usa contraárte, opu qualquer coisa grande fora de noção, caprichoso ou destrutivo mesmo.

  E a verdade combate aquela entidade. De nome vários é incompletos em sua nbatureza, que se chama estupidez, arrogância, morte, têmpera do achacador, de tudoque nos confina e esmaga com realdiade piegas.A entidade de nome idem, igualemnte mutável, de vários apelidos, e estúpida e com uma arma sem igual, talvez mais pesada que a consciência dos monstros. e as duas se valem de qualquer lugar - na peleja diária ou antiga, dentre sombra afável e calor do Sol como testemunha da fúria de cada uma.

  E é nas entrelinhas que não vemos o uqe vejo, mas o essencial de cada luta por si ou por outros - evidente que acontece e que vemos muito, que depende das pequeninas fragilidades comnbatedoras com energia! Estarei errada na acepção disso que disse?


Publicado por Jurubiara Zeloso em 13/01/2018 às 21h14
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 4 de 61 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras