Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

PATRONA DO MÊS DE JANEIRO              
              Bárbara Heliodora (1758 – 1819)
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
22/10/2017 20h49
Continuemos, sempre!

Tudo trankilo e trankado na boa por aqui. Estamos é sossegadas e podemos manter o passo de antes. E nossas noites de leitura rápida ou lenta de se amar, nossos sarausinhos delituosos continuam à toda! Lemos o bastante agora mais do que nunca, nos educando e aprendendo entre nós, sempre! E com apoio de uma gente boa e da muito colaborativa, que apareceu subitamente há dias nos salvando da bancarrota, e com isso tudo a gente idealmente agora vai + longe não é?  Estamos nas nuvens e eu idem mais que outras, claro!!!! Adoro me divertir de jeito maneira...e com vontade apesar das crises....ufa...

Nossa conquista de vida feminina aqui por ora é efemera ou lenta, sei, mas fico cabreira com a falta de gente comentando ou mandando e-mail pra nós. Estou até sozinha à espera de ver resultados do quanto acho que "influenciamos" ou agradamos a terceiros que nos lêem...buá...mas não me deixo abater por achar que nem sequer somos sim ou não admiradas nas nossas ações. De alguma maneira alguém me lê, nos lê e só nos acompanha em tudo em pormenores. Quem sabe se alguém está doido pra se comunicar, que sequer tem coragem de falar algo ou até parece preferir ficar caladinho nos assistindo na aventura e nas "idéias" que temos aqui? Sei lá...:) Poesia e textos sem fim, ouviram? Eh!

Tentamos conquiistar simpatia por uma causa leve, linda e muito solta como o feminismo comunitário mais atuante, menos beligerante ou mais tolerável, sem absurdos. Estou acreditando que somos pioneiras de algum jeito estranho, mas de um jeito calmo, compassivo e sempre à espera de compreensão alheia. Um dia o matriarcado fofinho e não violento será/terá sucesso. Enquanto isso eu mantenho a minha lavra poética, tanto na vida quanto na arte menor. Contudo em minha poesia a tolerância, o belo, o triste, o tudo mais não se coaduna com nossas separadas esperanças e das muitas lutas, isso fica entre eu e minhas mocinhas levadas...separo a vida particular da estudada com afinco, sabiam?

Bah...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Minha arte ( e manha, ih ih ih ih ih ih! ) é a que permanece idômita, alheia aos vozeriso que não escuto - infelizmente - dos meus vários oleitores "mudos" que devem estar aqui me lendo agora! Continuo a todo vapor após o variado apoio de terceiros dos últims dias, e assim continuarei aqui por tempo indefinido, acho eu...tomara que nossa garantia de sobrevivência, incluo nisto o meu diário continuamente pessoal de sempre na Recanto. Experimento hoje uma alegria das boas por ter me aliviado dos pesadelos anteriores da semana passada.

Sei que distopicamente eu tenho uns sonhos nesta nossa comunidade, Nunca poderemos levar uma alteração na vida dos outros e ne influenciar demais nossas correlegionárias lindinhas do bairro. E como nós somos ainda 15 das melhores "meninas" do pedaço, estamos na luta de olhar o mundo com alegria de sermos mulheres inteletualmente evoluidas d ealguma maneira possível. Não aceitarei que muitos achem que somos umas perdidas ou as malucas de ocasião comidéias utópicas infames. Nem sei o que pensam essaa maioria do bairro em que estamos morando. Parte de uma minoria, disso eu sei, acreditam que somos bruxas, putas ou desocupadas sem noção. Desses nem falo mais!

Só sabemos que vivemos com a candura, com conhecimento, e aprendendo muito com os mil fatos do dia-a-dia dessa crise de hoje neste Brazylzinho tão nosso.  O qu eme espanta é a opinião de alguns que acham que somos muito avançadas e coisa e tal. Tá tudo caro, mutável e enfadonho lá fora, longe ou até perto de nosso muro protetor aqui. Espero arregiemntar mais algumas felizes CDFs, sabichonas e as "diferentes" pra acreditar que alguma coisa tá mudando por aqui no município, assim ao ladinho da gente. Temerosa estou a ver que somos incompreendidas às vezes na vizinhança. Longe de mim querer fazer maledicência e fofoca se tornar lugar comum por aqui! Além do mais não entra homens aqui de jeito nenhum!! Jamé! Humpf!

Desde o começo de tudo, há 20 anos digamos, esperei achar umas "loucas" o suficiente pra gerir e criar uma sociedadezinha comunitária dentro de minha casa imensa, custosa e generosamente acolhedora. Aqui a idéia inicial era a de ser ponto de runião constante de nossa gente, onde pudéssemos ficar longe das influÊncias e tentações masculinas em minha obra amorosa de amizades. E hoje chegamos ao ponto de extrapolar, se quisermos, nossa realidade de viver em comunidade só de mulheres afins, sábias e valentes, a aprender de tudo que possa auxilair nossas ideações pessoais. Somente não entrarei em detalhes do todo que nos comove a cada dia. De fatos estamos dedicadas a estabelecer identidade de propósitos de viver juntas, sabendo ser feministas no mais alto grau, além de amantes cooptativas sem maldade, colegas de trabalho corretas e também responsáveis nas coisas e divisões de tarefas comuns. Assim é a vida comunal da gente, sem machismos mandatários ou deletérias "influenzas" de macho por aqui! Hah!. 

Uma coisa só: não sou misândrica inteiramente, mas não quero homens por perto em nossas atividades tipicamente femininas, inteligentes e tal. Uhu! Falei? Fui....

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 22/10/2017 às 20h49
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
18/10/2017 23h10
VOLTO SIM E COM UMA AJUDA INESPERADA!

 Ueba!

 Eu posso continuar! Vou ficar sim, graças a ajuda das muitas amigonas lindas, lésbicas, humildes e heterossexuais que gostam bastante de mim. Quando souberam de tudo de ruim conosco ficaram loucas de medo de me perderem e de tambem perderem o meu intenso, errático e, por vezes, pálido diáriozinho da Recanto! Graças a essas gracinhas que eu pude estar aliviada de voltar completa! Agradeço MUITOOOO! Demais da conta essa ajudinha!!!

 

                      

        "ai que amor é esse crescendo abaixo do rosto? Estou quente, fervendo!"

 

Que belezura estar cercada de tais criaturas cheirosas, perfumadas e doces!

Muitas delas vieram a mim, pois leram o meu pior temor por escrito aqui da última ( que última e + tristonha! ) vez em que pude externar o fim deste diário ou da assinatura aqui deste blog! Vieram a mim com grande amor, chorando por achar que iriam me perder ou perder mesmoa leitura de minhas "artes" na vida literária do site. E foram muitas a me apoiar a continuar. Resolveram o meu problema da graninha que não tive pra continuar. Fui beijada ou agarrada por 37 mulheres miauvilhosas, das mesmas que me acompanham há anos as minhas aventuras na vida e na mídia da Internet. Apesar do sofrimento inicial estou desgastada nos nervos, mas feliz! Muitas das minhas "meninas" grandes nesta NOSSA comunidade feminil ficaram aliviadas também!  Ufa! Agradeço demais idem ao amor de minha mãe falecida que deve até estar de meu lado agora pra me acudir com sua "luz"como a filha orfã que fiquei, Choro à beça agora por isso tudo...emociono fácil! Choro de alegria profunda!

Tirando fora o sufoco de dias atrás, agora estamos tranquilas que nem maré ou oceano parados. Todas essas mulheres de minha vida, que me acompanham aqui na jornada de meus dias sem fim, fizeram um bem danado pra mim! Estou nas nuvens como nunca antes! A nossa dinâmica de grupo permanece eterna.

Essas mulheres corajosas que se sacrificam por mim, talvez até mais de uma vez no passado, são verdadeiros anjos de bondade. Nenhum homem tolinho participou disso ou foi prejudicado em suas prerrogativas de um macho afoito  - e ainda bem que não devo nada a esses camaradinhas que conheço bem, hah!

E então...

Todas elas terão lugar na minha vida, no meu coração ou coisa melhor a ser doada pra cada uma delas, Mas, não me levem a mal, apenas afirmo que todas estão garantidas em não serem influenciadas por mim ou por algum enlace secreto duvidoso. Longe disso! Eu amo de verdade o que fizeram e agora será fácil voltar à carga em pleno vapor e encarar os meses seguintes, entretanto devo dizer que levaria de fato uns meses pra voltarmos à ativa de qualquer maneira, pois....e como gosto de escrever pra essa galera que está oculta nas "sombras" volto a declarar que estarei aqui pra sempre, até a grana e a crise se fizerem impossíveis de novo! E isso não vou deixar não! E nunca vi que tinha tantas amigonas assim de tal forma gentil...

Se elas qiserem poderiam é formar conosco uma legião de boas vanguardeiras feministas de primeira ordem! Um "harém" sério e formoso, sem muita maldade ou implicaçõs de má fé infames, onde mais de 45 moças, mulheres feitas e mil outras ( uau! quem sabe? ) ficariam fazendo uma espécie de Reública louca e muito ínitma de mulheres de vanguarda, promissora na luta a favor de um bom matriarcado combativo como acho que deveria existir no Rio de Janeiro, depois o MUNDO! Hah! Será que daria certo? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

                

                 "Jurubiara a Grande, conquistadora do mundo homo mau..."

 

Brincadeiras à parte, sinto que é meu dever falar bem dessas senhoritas, senhoiras e benfeitoras sensuais ( uhu! ), E agradecer, certo? Valeu apena conhecer gente tão boa de coração no bairro de minha estima. Aqui nenhuma delas me cobraram nadica d enada pela ajuda, Fico felicissima, sorridente e muito mais jovial do que nunca! E na foto acima eu estou de óculos velhos, se é que repararam direito no cabeçalho daqui... 

Dá licença que agora vou sorrir a noite TODINHA!!! Nóis merece!

Continuaremos na próxima com toda certeza, valeu!!!!!!

 

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 18/10/2017 às 23h10
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
13/10/2017 14h44
Estou com dificuldades por um tempo...sinto!

  Por falta de tempinho e a money, pois a vida complica-se e estamos nervosas com o pouco dinheiro de nossos salários, cada uma em seu trabalho, e terei de sair! A crise nos alcançou por ora, mas nada de mais pior podia ser. E sei que devo desculpas a todos agora, entretanto muitos fatos nos conspiram na crise atual. Sinto que vou ter é de dar uma parada nessa jornada diária - e é triste dizer, mas acho que daqui a pouco ainda mudaremos a situaçção em um mês, acho....acreditem!

  Continuaremos todas nós a tabalhar com mais e mais afinco por isso, o típico das mulheres assustadas bastante formiguinhas, por assim dizer. Teremos de evoluir um instante na vida, sem embargo e é assim mesmo. Por motivos bem alheios, nestes tempos bicudos e safados, estarei fora deste meu diário até nós acertarmos os ponteiros por aqui. E esta é a minha primeira crise faltante neste diário aqui na Recanto. Eu gosto muito, ademais, de escrever muito por aqui, sempre, contudo vai ser pouco demorado a volta, e será um retorno renovado. 

  As dificuldades domésticas a gente tira d eletra, Entretanto manter o site vai   exigir agora ter que sair, mudando só este espaço meu e a parte concernente a enviar desenhos ou imagens em textos. Mudarei por um mês, acho. E ainda assim estarei na Recanto das Letras limitada a poucos textos a escrever, sem diário por um tempo e sem outras regalias de assinatura daqui no site deles. Eu farei pouco em tudo, poeterei sempre claro, estarei aqui ainda assim! Não se preocupem...

  Razões pra enfrentar tudo há. Razões pra desviar de meu trajeto no diário e tanto pra se dizer existem aos montes. Irei parar este diário agora neste exato momento, pois estou sem condilções d epagar assiantura mais duradoura. E o qe acontece é que ficarei muito, MUITO limitada em meus textos, só três ao dia acho e volto a estar na condição de ser mera visitante sem assinatura, isso por enquanto não é mesmo? Eu voltarei sim! Palavra de lésbica e mulherzinha de óculos inteligente...uhu...

   Voltarei com avatar de sempre, não mudada, com patronos mais feminino e mais valiosos, com imagens condizentes ao que falo nos textos diversos ou nada mudará. Volto sim senhor! Ora se vou! Não é uma crise dessas que me fará abandonar este aqui e agora, Será breve minha ausência no diário e da assinatura que torna possível minhas liberdades, infelizmente. Espero que me perdôem, minha gente querida.

  Sei. Sem dinheiro não me compete fazer nada. Ou vivemos de acordo ou esta crise continua. Bast-me lutar pra retornar, só isso! Assim é vida hoje! VOLTO SIM! 

  Entretanto, apesar dos pesares do dia, a nossa comunidade feminil continua a toda e parece que novas amigas ou consortes cooptantes estarão vindo, Será um imenso harém sem marajás babacas ou machos alfas pra nos incomodar.! Estamos a toda, com a corda solta, pra dirigir nossa comunidade, nossas vidas, eu mesma com tudo em cima! Isso não muda nem que fosse na crise de Cuba ou nem na Crise do Petróleo de 73! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ( risos gerais ) 

  Adeus! Volto brevemente até resolvermos a parada!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 13/10/2017 às 14h44
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/10/2017 00h19
Já aconteceu contigo?

 

     Já me fizeram a mesma brincadeira besta num ônibus CHEIO faz tempo! E eu já cansei de ver muitos pênis eretos ( e bolsa escrotal inclusive, irc! ) desde mocinha quando fui safadinha um dia, argh! Os homens bobões adoram pregar essas tais peças infantis sem noção...que coisa feia! Mas agora isso mudou, a minha situação sexual idem e só enfrento essas tolices com mais bom humor arretado. Ainda bem que algumas mulheres tem um melhor senso de humor, e no máximo eu só iria ver calcinhas delirantes de ver ou xaninhas raspadinhas!! Sou é "maluca" de falar dessas coisas...Uhu! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

     Ai, se isso me acontecesse de novo, terá de ser uma brincadeira jocosa de mulheres afim de mim...hah! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk LOL! De fato gosto de levar sustos, mas não de carinhas com pinto roxo feioso...eu hein....

      E eu me divirto com este Rio de Janeiro doido e weio violento em que vivo e respiro...afe! Sou carioca e tenho de ter bom humor, não é? Pois então...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 11/10/2017 às 00h19
 
07/10/2017 18h03
Custa-me vagas estrelas sem ursas maiores

          Tanto de mim se esforça pra ser feliz a cada dia, mas antes de tudo isso que marcou minha vida, antes de chegar ao aqui e agora, eu era diferente, insegura. Os meus casos de amores masculinos eram muitos diversiicados, muitas vezes parecendo machucados sem cura. Nem sequer imaginava ter me tornado lésbica ou, com tal fervor, além da bissexual como antes. Era mundo diferente demais pra se lembrar neste momento tão valioso de minha vida sensual. emotiva, complexa.

          Teve época que amei os homens, alguns até legais e válidos de curtir assim adoidado. Fiz muito sexo com vários diversificados, se bem que nunca fui violada ou abusada em tudo que ousei fazer. Sempre amei com o coração e o sexo ainda parecia alo bom de acontecer. Entretanto nunca fiz coisa feia, degradante, sequer fantasiosa demais, em tudo, na cama e fora dela. Amei loucamente muitas vezes sem conta, de coração aberto, com a feminilidade à toda, como irmã de alguns, amiga benevolente de vários e uma  tal "mãe"  carinhosa se quisesse, enfim era para todos...

          PIsei na bola muitas vezes. E poderia te rme arrependido se acaso eu me entregasse todinha, me deixasse fazerem filhos em mim, me depositarem tantos desgostos ou algo pior que uma gravidez inoportuna. Nunca me deixava me penetrarem de frente em toda relação amorosa verdadeira e gostosa que tive. Preferia que fosse assim sempre. Hoje teria me arrependido muito disso se houvesse tido a oportunidade por responsabilidades impossíveis. Se tanta coisa infame não tivesse feito a escolha da vida, talvez eu estivesse casada com marido chato, pedante, complicado e até cercada de filhos ingratos, ainda mais, bastardos no mínimo! Eu optei pelo caminho incerto do lesbianismo, mas não me arrependi na hora certa. Encontrei um amor até mais livre, cheia de orgasmos maiores, maiores felicidades em outros colos aquecidos de paixão. E semelhante coisa não foi por um acaso besta. Fui ficando distante dos homens por causa de outros fatos também igualmente aporrinhantes. 

          Sexo divertido, sem haver amanhã, com prazer que nos faz perder-se, só nos dá ilusão de momentos. Num píscar de olhos o paraíso pode complicar-se e muito, ou pode nos fazer pensar melhor no élan feminino perdido à toa numa hora incerta de gozo fingido. Parte do ser que está afligido, sofrido ou ferido de alguma maneira pode se enganar, iludir-se tanto quanto fragmentar sonhos. Os desejos se tornam fludios, maçantes, sem apelo do outro ou seque o melhor entendiemnos de ambas as partes. Para mim essas são verdades doloridas E se outros puderam sair dessa na boa eu os parabenizo pela sorte....

         Fui largada em diversas ocasões de desfeitas amorosas. Me deixei ser a escrava sensual, ou a mais sexualizada, de/para muitos. Idolatrava o clima de preliminares antes do sabor doce de sera  amada numa horizontal ou qualquer posição. Fiz do sexo oral meu deleite mais confessável e impudico possível, fui a melhor nesse gênero de "arte" incomum, tanto numa relação quanto de mera ocasião. Muitos de meus mais caros amigos já inconsoláveis com tantas outras perdas  de suas juventudes - por serem feios sem culpa ou serem rejeitados só por outras moças - me procuraram na hora incerta no momento certo, e nunca me arrependi de darem a eles a alegria de um beijo na boca ou segurarem nos meus seios. Para muitos desses me ofereci em sexo oral neles, pra desnivelar a ausência do amor pra eles tão improvável naqueles dias Sim, eu fiz a coisa feia típica de prostitutas mais louváveis..entretanto foi para um bem comum em prol do gozo instântaneo que essas coisas fazem na gente quando somos adolescentes recusados. Me arrependi pouco pelo fato do prazer de sentir a ejaculação ser um tabu pra muitos, contudo foi um tempo e um arazão de ser só meu, feito em busca do orgasmo definitivo que nunca tive mesmo com os homens. 

         Certos fatos e farsas da vida me fizeram concluir, com o tempo, que esse caminho não daria certo na vidinhna de mocinha sapeca, feladora e que nunca deu de si o degradante do lado feminino de uma mulher. Certo que sexo anal foi em parte cuidadoso de minha parte, em certo sentido e com um muito raro desejo de fazer. Não tinha prazer no anal e nem no coito vaginal por completo. Jamais fui penetrada em dois sentidos, se é que me entendem.  Somente com mulheres tive e ainda tenho prazer quando faço com elas as mesmas coisas, só quie de outros modos e "brinquedos" que não direi aqui, lógico. Mas para muitos entendedores mais palavra d emim já basta, não é? E ainda tenho esse meu "divã" ( diário midiático pessoal livre... ) para entabular esta conversa tão íntima de meu ser. Se bem que muita gentinha chata sequer se importaria com minhas explicações acerca do como fiquei lésbica desde aqueles dias...

         Deveras, eu estou ficando envelhecida nos pensamentos. E velha com certa idade, quarentona conservada, porém ainda nem tanto gagá ainda!!! O que sei é que estou mais "professoral" na emoções e nos fatos da vida real, da minha vida real.  Tento ficar bonita pra manter aparências. Uso do melhor em roupas, saias plissadas, vestidos longos e calças deliciosamente apertadinhas. A moda no entanto não me atordoa por ora. Só sei que meu passado tem um quê de saudosismo que tem de ser exposto de um jeito maduro como sempre. O que vier mais a frente ( eu estou pronta como sempre... ) são desafios de ser uma sozinha senhora sem se casar ou se manter na firmeza na modernidade sem apelações. Digo essas revelações acima com o intuito de esvaziar meus fantasmas dos corredores ou meus egos passados sem graça agora.

       Um dia tentei ser feliz como mulher normal, mas foi um fiasco. Pois quase cheguei lá, mas o prazer demasiado pesado  no sexo oral feito nos outros ne fez acender a chama do raciocínio Nerd ingênuo que nunca me falhou desde então. D euma hora pra outra sou outra mulher mais antenada e mais deliciosa lésbica do que nunca! Não dava pra negar como essa afetação desse meu ser atual se conformava entre amores secos e sem graça, ainda mais sem noção.

       Os homens nunca me deram a chance de ser oportuna mental, espiritual e gentilmente  em suas vidas hedonistas primárias. Entretanto eles sequer me deixaram espaço ra aceitação profissional correta ou até estudantil mais séria nas coisas reais. Urbanamente fiz coisas incorretas e falaciosas de uma mulher que dizem ser modinha ou a passável nessas questões machistas de sempre.  Eu nunca me deixei relevar como padrão, ou aquietar-se e se "escravizar"  por meros enfeites sexuais agradáveis de oferecer. Se queria me domesticar se enganarm muito. E parte desses sequer tem a culpa por serem rejeitados até por mim, em matéria de uma "seleção natural" que muitas fazem com terceiros menos cotados. Embarquei foi na onda de meu intelecto a ser forçada a pensar diferente diante dos homens chauvinistas de sempre. afe!

        A gota d'água foi é ser a abandinada numa sacristia, na hora H em que eu mesma titubeava entre a normalidade de casada ( no tedioso afã de agradar-se um marido bestinha e noutros lances de uma vida mediocre de uma "pequena burguesa" sossegada... ) e que outros me achavam bem quista, nesse etcetera trivial do momento. Decidi mudar tudo na ocasião e deu certo de certa forma. Um dia se explicará o porque de me abandonarem impúbere( cruzes! )com a roupa de noiva e tudo que se queixa de ser honrado numa noivinha boba de óculos...fui, vi e penei!!! Risos...

        Certo, um dia me enganei muito com outros bem mais cotados e com um alguém que hoje não é ninguém de qualquer jeito...deve estar em algum limbo domesticável de sua vida por aí.., prefiro ainda ser eu mesma, eu hein!!!   

         "A caravana passou, os cães perversos foram pro abrigo e eu sou mesmo a Sherazade!" Conta outra minha princesa ferida! E que seja verdade de fato, e o que disse era verdade até agora, e não passou é de uma realidade malgasta em tentações vivas...sim!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 07/10/2017 às 18h03
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 4 de 56 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras