Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

PATRONO DO MÊS DE AGOSTO     
       
           Salvadoir Dali ( pintor espanhol )
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
04/07/2017 22h32
L'amour com lantejoulas se quiser

        Amôr segundo minha gente de casa...

        Como beijos que se tocam com batom, um doce e outro a se adivinhar, ambos feitos com destemor, sem continentes que contestem ilhas prazeirosas. Algo mui além desse hálito de seu bem, o nosso bem inconquistável por terceiros, longe de pios dogmas ou disfarces ocultos. Uma noite de encostar os lábios limpos de infâmias desbocadas, e ser mais mulher com outra mulher, sem machismos e influências arriscadas. Tudo por você que fica e somado a mim, conjugados corações ternos em um tesão num bastardo resfolegar das nossas respirações!  Tudo por nós em muios momentos em poucos instantes...vale até pra gays masculinos se quiserem...

        Não há as fronteiras, inexiste livros a escrever, defesas a se efetuar ou um devaneio vago, coisas que impedem gostar. Se ama então és livre, na idade ou na razão, que sendo inversas admite serenidade no agarramento inevitável. Sem culpas. Sem prejuízo da alma louquérrima por você. Em suma, ser amado emloucura, sem limiares escusos, comprovação por habeas corpus ilimitado. Tente entender ou não se culpe dosdesejo que leva ao desenlace da paixão. E a cama é só pra detalhes, e o perigo que vem de fora disso é de quem nunca compreende...

        Eu amo e sou amada. Sou querida e poetisa "engessada" pelas flôres que não acabam nunca de renascerem neste jardim, sempre as mesmas deliciosas fadas vivas que convivem comigo. Delas tiro o ranço do dia, alimento eterno, as carícias que ainda fazem falta desde mocinha. Sou delas e por elas, nesta minha/nossa democracia doméstica de aceitações. E são uns 14 paraísos femininos que  não se importam com meus pecadinhos veniais ou versos obscenos. Somos irmãs em cada conto ou desconto. O amôr em dúzia mais quatro. E tem de ser assim e estamos conversadas. Afe, que doce meiguice me ataca agora...risos! Tô arrepiada!

       O amor, segundo minha prosa, verso ou douração de pílula,

       Controverso, bípede, sapatinhos com laço róseo, meu coração desordem. O que tenho dou a todas, o que possuir me entornarei com elas, mas o que eu escobrir será nosso cmunismo de emoções feminas. Um jogo de olhares e eu estou pronta pra ti, pra vós, como se deve com canduras. Entretanto, sou mais poesia em saias rendadas, calças franzidas, boca acostumada, a sede por um beijo molhadinho. De mulher só quero tudo. E de quem me amar mesmo com todo vulcanismo de meu ser, serei tudo com condição. Nada disso de querer me penetrar o antro escuro, de me bater com revolta ou júbilo besta, sem calor e sem desejo fátuo. Eu quero ser amada sempre! Sempre! Eterna no papel e mártir do apaixonar-se! E me entregarei fácil se souberem a conquista correta na ação direta sem afetações. Isso tudo exijo de minhas meninas preferidas e no conluio somos álibis em qualquer desprazer ou riso perdidos.

     Espírito controvertido pra vocês, porém sou mais que essa penumbra que se derrete em alguns poemas, sendo mais que este desastre que usa óculos.  E se me retiro auto-estima é porque sofrer demais tem sido a solidão que me arrasta uma vez e outra ao escrutínio de minha existência. Sou amada e no fundo desarmada nas horas as mais incômodas quando sobrevivo sozinha com pensamentos meus. As outras mal sabem, mal consultam sobre isso, mas é parte de meu segredo não falado e dolorido. E  nem sei se elas lêem este meu diário. No entanto elas nem se importariam mesmo, melhor assim. Comigo carrego as mágoas em dúzias duplicadas que resguardo longe. 

    O Amôr em tom melodiosos de uma sonata triste, mesmo que embalada em semi-tons, ornada de bemóis farsescos, com ópera bufa e tudo dissonante. Um resto de mim diz essas coisas com ardor de uma diária chama avulsa, se é qe me entendem. Forçoso dizer que sou mal tocada em orquestras, mas escutada na avenida sem ouvintes, queridinha por cooptação. Uma tonalidade sombria com sorrisos - e de fato é assim mesmo comigo. Se sou sorridente escondo a primazia do incêndio intimo que me invade a cada sonho ou em vigília. Ah, mas sou muito forte pra me deixar abater por muito mais ou muito menos... amando pra ser amada com maestria poética sofrida, apenas empalidecida por versos escavados, muito embalada pela vontade de estar no mundo pra abalar alguma coisa. Tem de ser não é?

    Na revolta insisto no amar caliente, na formosura de um rostinho não muito lindo, numa hora certa ou noutros minutos quase mais errados. Repouso minha esperança nesse amor complicado bem multitarefa. As outras esperanças que desafiam deixo que permaneça,m ineditas agora. As mágoas ainda não permitem ir tão longre, mesmo sendo feliz neste acaso de sentimentos. E todas que me conhecem me entendem nessa premissa. Uma poeta louca de amar se aquieta, não se revela , aceita, relegando certos  dramas futuros pra uma outra ocasião menos tristonha...  

    ( ... )

    Vamos pra frente? Vamos? Até mais meus caros silenciosos leitores...

  


Publicado por Jurubiara Zeloso em 04/07/2017 às 22h32
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
01/07/2017 17h54
Sorria comigo "migas"!

   Hoje nova. Amanhã sapeca. Ontem levadinha e mais sapato...falo muito!

   De onde sou e também quero saber e você jamais entenderá, mas fazer o quê? Entendas como quiseres mnha doçura de pessoa...e esto rindo dentro de uma sala branca e bem ventiladinha. Uhu! Afe!

   Sou tudo de você se quiserdes e que venha mais pra minha casa fofinha pra me paquerar, assim de mulher com mulher, entendes? Pois não sou de ferro e eu quero mais ferrugem, mais calor, oxidação das minhas mesmies em prol do grande amio que nunca veio ,mesmo. Louca sim e mais poetisa arisca do que nunquinhas. A carioca faladeira que sou te quer pertinho do "corpinho" enxuto de meu ser. Me vestirei bem alegremente com roupas de travessura e estou sorrindo por ser mais amada do que nunca. Uhu! Quem sabe se falo direito e me dirijo a vocês com mais candura, algo nada peculiar para uma poeta lésbica deliciosa?

    ( risos )

   Pareço nova, recauchutadinha, pronta para ser profressora d etodos, a falr de livros que devemos ler, todas juntas, e assim papear legal. Tem de admitir que sou bem falante, atraente, magnética, quiçá atômica ou genial. Quero é muito que sejamos risadas ou até carícias leves. Tudo pra nos entendermos dentro de minha casa que somente acomoda 14 maravilhas! Eu gostaria d eter você agarradinha de mim e sempre perto de meu sofá.  E estarei vestida de menina-moça graciosa, de meia-calça fofinha e com um laço na cabeça sem juízo. Risos...

   Te espanto de início e logo nos entenderemos. Pois é!

   Sou tua ambígua anfitriã em minha vida pecukliar. Entrando no quarto pra te mostrar tesouros livrescos ou camisas de casimira lindinhas com deleite e sorrisos levianos...risos bobos...e nos faremos confissões literárias ou muitas fofocas do dia - e você que sabe. Na maior das confianças respeitosas, claro!

   A gente se entende. Nós aqui  nos entendemos bem. e eu sou deveras muito ENTENDIDA em variados assuntos do mundo ou das coisas, se é que possa entender. Seremos amigas meigas que comem ameixas...risos...devotadas a fazer prosa, poesias, talentos em vida, certo? De certo modo te convido desde o início em que nos vejamos colegas de igual deveres sociais. Decerto serei mais cautelosa em conquistar tua simpatia com vasto amor de mãe ou irmã devotada. Em meu jardim passearemos e te direi o quanto padeço de mais e mais compnaias simlares. Quatorze já não nos bastam e todas aqui achamos isso. Mais uma bem vinda me quebrará a saciedade por novidades. Risos!

      E este mês eu faço aniversário e quero mais gente comigo! FCA idem faz aniversário junto comigo! Ueba! Dia 23 falei?


Publicado por Jurubiara Zeloso em 01/07/2017 às 17h54
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/06/2017 16h08
Minha força de ser e pouco se importar

  Com os anos aprendi a ser subversiva, SEMPRE! Mesmo proibida de ler isso ou aquilo durante parte de minha juventude arredia, eu ia pra frente e lia de tudo ás  escondidas, mas nunca me arrependendo de nenhum aprendizado ocorrido ao longo daqueles anosn fecundos. Sempre soube mais "coisas" que meus conterrâneos machistas  de minha geração. E como eu podia tanto me rebelar na hora? Ora ,somente lendo e estudando de tudo, não importando gastos e energia ou emoção, s eue estava ou não erradinha sobre tudo! Sempre rebelde jamais caind na realidade obtusa de eterminadas políticas ou quaisquer afetação minoritãria. E me tornei lésbica, arrivista e escritora menor, guardando em mim este e aquele melhor da cultura, embevecida no conhecer eterno dos fatos.

      Jamais dei um passo atrás. Nunca me acobertei mais do que devia. Tduo que sei foi se e,balando numa capa de honestidade prórpia. Nem sequer me locupltei com que outros diziam a torto e direito or mim. No meu lugar ficava calada e deixava a mediocridade passar. lendo de tudo nas mãos mesmo que me sacrificasse a sexualidade capenga de minha existência. Todo o resto era mera ilusão para os sentidos em alerta. Lendo demais fui até longe, até mesmo caindo no arrailal da loucura que desse, pra demonstrar que uma mulherzinha tambem pode enfrentar o mundo e meditar MUITO sobre as coisas que nele se emborcam. Dito e feito: sou hoje o que ontem penei em adulterar tanto para o bem maior de minha vida cultural. Sou artista, poetisa  e grande sapatonazinha de queixo lininho. Risos...ai meus sais!

     Decerto que sou arrivista, irreveente e mito faladeira. Sem papas na língua, note-se bem. Fazendo de tudo pra elevar os suspiros artisticos (!) acima do normal que seja. E eu lia de tudo e ainda leu de tudo. Nada me escapava de argumentos ou confronações de minha parte! emocinal, e ainda nõa me escapa o restante que faça-me pensar. Ainda por cima dou lições de vida a muitas que aqui me aguardam tanto na alcova ou tanto no vestuto sofá debutante da sala em nossos saraus semanais! Até sei dançar como qualquer rapariga que se preze! Ora, se pois! Risos...o resto é imaginação dos conjurados...

     Brinco sim, e bastante, com as coisas. E de certa maneira sou assim incomum e de nada mudo em meu caráter. Devia ter nascido é homem afeminado mas que luta contra um mundo opressor sem graça.. ;P Mas sou leviana demais pra mudar de ximbica pra pinto numa hora dessas! Prefiro ser mulehr que idolatra sexualidade deferente(sic) do que um gay afeminado sem chance d eser amado convenientemente! Tem mais vantagem ter vagina do que pinto insaciável que jorra discriminadamente por qualquer desejo. Um apetite de mulher como eu é ate mais controlável que as muitas taras infames dos homens fúteis que nunca me interessaram! Continuo na luta pra educar sempre esta minha mente feminista ( pero no mucho! ) e de certo modo sou é muito misândrica quanto a isso tudo feito por homens. De livros e mulheres o mundo é feito, ponto final!

    Gostaria d esalientar que sou livre pra afirmar tudo isso. E não me conformo com arcaísmos, retrogradações ou frescuras de terceiros. Nos livros sou outra pessoa e fora desse mundinho de letrinhas sou esta mesma gaiata poetisa qe vosmecês podem ver. Fazer rir tambem é parte de minha artesania de vida! Sou sorriso e deleite se queiserem. Mas jamais abandono minha paixão por ler livros, semanários, dicionários, epubs e revistas de todo gênero. Aidna assim continuo liberal, solta ou a subversiva. Mais e muito mais que isso, se der na telha...

    Vamos seguir adiante que meio mundo tem de saber desta minha existência quietinha e revolucionária por aqui...risos....

      Minha força. minha rebeldia, minha revolução são a minha razão plena de existir plenamente, claro...sou uma Che Guevarinha que luta uma revolução silenciosa, sim senhor! Risos...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 30/06/2017 às 16h08
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
27/06/2017 01h08
Racionar o que ler e obter tesouro na leitura

  Vale a pena ser leitora, poeta e uma artista ( porque não? ). Isso vindo de mim, claro. Muito mais quando se alcança tanta gente que me lê - eu acho - por essas bandas do mundo. E no entanto sou agora mais artista da palavra que uma poetisa impetuosa que até o momento escreve. Não mudarei em nada o que faço sempre, isso é notório mesmo.

   Repito que ler bastante não é o pior mas uma tarefa sagrada para a mente que se educa sempre ou que vive tambem evoluindo muito. Basta um livro qu ete "pegue" de primeira e que te alcance com o saber que o envolve. Ler é o melhor passo pra se reeducar eternamente, se quiser. LIteratura e chatura não é a minha, mas confesso que leio até demais, e que isso me cansa muito a cada vez. Contudo não esmoreço fácil e ainda continuo saudável nessa "tarefa" divertida e instrutiva ao mesmo tempo...

   Claro que sou poetisa, amante de delitos literatos, artista de menor gabarito se tanto! E apesar de tdo ao me gabarei de ser inteligente ou a coisa sabida demais para se ter como amiga de livros. Conheço meus limites terrenos, faço o possível pra ser uma poeta divertida e por vezes séria demais a cada prosa que me consome. Eu estou sempre aconselhando aos meus amores em vida sobre a ativiade lúdica e plena de aprendizado de ler um livro ou vários dels ao mesmo tempo. Não faço isso a toda hora, né? E tenho uma casa pra cuidar, compras a fazer e pagamentos a serem feitos e arrumados direitinho. O resto é parte da diversão desta vida ou da atividade intensa no mundo dos livros de todo tipo. Leio de tudo, claro! \Ler não é tudo ( sic ) na vida aarefada de gente como eu! 

     Não existe limite ao hábito de se ler o que se quiser. A torto a direito se desejarem e isso me motiva a estar em tantos mundos literários quanto estar nas cabeças pensantes dos seus autores. Irrelevante é achar que cada cabeça uma sentença, mas não vem ao caso. O que vale é ler bastante e jamais boiar no teor intrinseco de uma boa leitura. Tem de estar preparado por longos anos de ler, ver e reconhecer-se leitor contumaz. Jamais direi qe se trata de um aatividade pedante, mal paga, má direcionada ou alienação descabida. Ler é o melhor bálsamo do espirito curioso de todos nós!

      Admito que agora ando correndo demais pra dar mais conselhos melhores nesta arte sem profissão qpaga ue é a de leitor(a). Adiante em algum lugar direi sempore mais, lógico. O que é importante é o hábito salutar de se sentar e só escolher bem o seu livro predileto ou tantos outros ainda mais prediletos. O céu é limitado mas a atmosfera de um texto ou de um conto bem lido e bem interpretado é de infindável deleite. Espero ler de tudo até o fim da vida se possível...

    Começar devagar na infa]cia e passar por tudo na vida enquanrto se lê aqui e lai com afinco. Desejo essa vontade louca nascida pela leirtua a cada um que me segue fiel ao meu ser ou ao ter o seu livro e vida dedicada a isso,,mas devo estar extrapolando o meu dever de ser leitora feroz .. apesar das muitas dicas anteriores de autores que me favorecem a alma cansadinha...diverte-me!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 27/06/2017 às 01h08
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/06/2017 01h04
Pra desabafar

Um pouco de reflezão, de novo! Estou com preguiça hoje...me desculpem!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 25/06/2017 às 01h04
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 3 de 48 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras