Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

 PATRONO DO MÊS DE SETEMBRO
   
        RAINHA ELIZABETH II ( Queen of the England )
                      
                           

                
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
16/08/2018 14h09
Somos unidas e somos muitas!

 

Um amor que não germinou é cultivo impróprio, mas quando se quer e se ama demais o cosmos será indiferente, e a paixão consome mesmo e o todo resto se nutre de afeição além do bem e do mal. Se proibem, então deus queira que façamos desse instante o minuto derradeiro, este o beijo fascinante, um prazer que virá depois. Se aceitam, estaremos querendo que 14 outras compartilhem essa diversidade, sem as fronteiras, sem temores ou sem injustiças pretéritas. 

O ardente olhar, a entrega suspeita, o tudo ou nada! Já não importa se és duas ou hermafrodita, se tem recordações não terá saudades, se for homem que me esqueça a cumplicidade. Doravente sou a mulher de muitas, das tão iguais e divisórias quanto eu mesma! E já não importará a censura do mundo, nem os desafetos que me desprezam...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 16/08/2018 às 14h09
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/08/2018 22h08
Tudo de blue abaixo do meu Equador

           Hoje tá tudo azul!  Atgé minha calcinha é azul! Que delícia estar de bem agpra que tenho tantas mocinhas legais comigo e tantas mil tarefas a cumprir numa boa, sem neuras! Estou bem frequinha hoje, bem vestidinha, de botinhas das graciosas nos pés e todo um dia de trabalhos casuais, em casa ou no trampo de sempre. Miau! E como estou radiante abaixo da cintura!

           Desejo que esse dia dure uma semana, assim espero! E tem de se assim senão eu caio na poesia mais inspirada e sofrida da paróquia! E eu sozinha com esses dias que viorão não podem acontecer, não mesmo. E espero estar de bem como neste instanre, lendo bastante e escrevendo quando posso...

           Está azul esta calcinha bem limpinha, bem arejada, a qual está só me dando calafrios bobos quendo bate vento. E oras, estou de saia né? Vou lá pra dentro já e trocar por uma bermudinha mais quentinha...ora que mais posso? Troco e me dispo, fico Eva por uns minutos e os gatos ( digo "felinos" ) de casa ficam olhando, os safadinhos...um dia mando empalhar a todos! kkkk                           BRINCADEIRAAAAA!

           Claro que hoje estou bem de humor e falação rendida. Tenho pouco pra falar agorinha, mas noutro dia abro as bicas e ficarei é danada de falar sobre tudo! Eu deixo os gatins em paz por enquanto! Até acho que direi mais sobre a minha coleção de calcinhas e cintas, delas eu falarei! Hah! kkkkk

           Tudo azul num mar azul e oceano de alegrias num sorriso supimpa!

           

           P.S.: não tem gatos tarados por perto não, assim eu espero...kkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 11/08/2018 às 22h08
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/08/2018 17h56
Menina moçoila e tal

    Um dia uma menina. Mágica, interessante, arrumadinha, a tal da filhota da mamãe, desta tão querrida quanto possível abelhinha! Sabida, oh sim! Com quantos parques eu fiz a vidinha de nunca reclamar mesmo, nos muitos jardins repletos de duendes bem amados ou silenciosos, passeiei consciente da vida e dos ares, até dos mares. As minhas ondinas dessas fontes e tudo que me construiu ao longo de dpecadas de mocinha-primaveril. E com quantos choros e cem lamentos por brinquedos custosos, minha mãe a se locupletar com as minhas faltas rudes na escolinha, esta bobinha a estar bem beijada, amada demais. Oh, que vida trilegal, Da bastante carente de prosas. Mas de amor um ambiente de contruções de alma e alimento de sentir-se livre além da conta. Tudo pelo ter arquitetado ou inovado por mim, com ou sem tantos lamentos, e desejando as noites de rajantes cristais a cada Natal inocente, de más novas deste mundo...e este tal mundo que de legal se conformou muito a só crescer bem arejado, feliz, tão completinha de ter saído do berço há tempos. Oh, oh, oh, mamãe, não me deixe chorar...me faça ronronar no berço de antes...ai!

   Sonhadora e senhora dos seus invencíveis mundinhos inconstantes!

   Moça e menia, desde então, leitora e saudosa, uma poeta ao destrinchar os meus destinos pormim mesma , minhas fases ou minhas conquistas ligeiras. Sou isso e mais... e duvido que eu diga tudo adiante...

   Que me conjuguem, acertem com candura, o todo daquela vida de mocinha ainda iniciante nos percalços da estradinha. Morando em sutilezas, vivendo doçuras na rua. A rua abrilhantada, fermentada por mim  nas rezas diminutas, bobinhas, esquecidas agora, ladrilhadas sim de brilhantes desiguais. E se esta rua fosse minha, dentre todas, eu só comandava tropéis de boas vontades pra ladrilhar tudo de lindas porcelanas também. E eu sendo a feliz, e era feliz, o tempo não arrumado, na vida das eternas canduras, as quais me fazem a falta materna. ai, minha mã. mamãe, de sublimes cantos e mil cantigas, sonhos sem leis, verdades ocultas. E eu descobria a tudo, com a suavidade de moça ainda menininha demais. ai, mãe, mamãe de antes, dos dias encantados dentre as suas bonecas, dos seus afagos que me aqueceram nos frios "tropicais" de Julho-Agosto de cada momento, de cada esta hora da estação da vida...onde mais ser feliz em casa?

   Justo que poesia se faça. Que eu construa e faça estradas, ruas, quitandas de avenidas, loucas aventuras. Eu assim livre do momento que hoje nos forja, assim menina levada, instruída, a bem prendada por ver minha mãe fazer de tudo. mesmo que fosse desde um tricô ao feijão tropeiro bem feito. E ainda moça de lindo dotes, assim como se uqisesse pra sempre, amando a outras mais capazes, esquecendo dos meninos, dos rapazes tolinhos demais. Eu só a preferir meninada de mães corretas, distantes que fosse moradas, as mesma que ainda hoje me visitam, a saudade de boas medidas bem-vinda! UM dia tentei o amor pelo cintrário, e enconterei o dissabor de não estar/parecer "uma" normal demais pra este mundo besta, já muito assediado de temores. Sou teu mundo, nosso mundo, uma mãe pra algumas...ai mãe, onde estarás? Ai...

  Ainda menina, ainda flertada pela vidinha louca do mundo. Estou a seu dipos minha cara realdiade, mesmo sem a mãe pra alterar os desaforos de alguns. E sou a mesma, a única, bem nascida fundamentada nas juras desse algum passado idem. Sou a minha convidada, mas a todos entreabro a casinha das portas de concreto...venham e ensinem a esta menina a permancer poeta e filha sem matrimônios...afe! kkkk Miau!

  Bzzzzzzzz!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 09/08/2018 às 17h56
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
04/08/2018 18h17
As pontas que faltam e os outros...

               Sinto que nada lhes devo, nem confidenciarei que estou satisfeita. O que vier de bom grado de qualquer um está afiançado pelo meu respeito. Se sequer mandam comentários amigos ou cartinhas benéficas, de fato compreenderei um tanto. Um pouco d emim se preocupa pelo silêncio de meus  leitores de algum lugar distante. E se puderem traduzam em simpatia ou sinceridade as palavras que sempre espero com candura e sobriedade. Neste entanto eu nunca recebo, desde o início na Recanto, cartas ou visitas no meu blog peculair. Entretanto espero que saibam que ratifico um tantinho de tanto silêncio desse povo que me segue aqui.

               Bom, mesmo que não mandem nada, estarei compreensiva, apesar de uma espera d eanos por visitas por escrito no blog da Recanto. E olhe que isso se repete um pouco nos meus encargos e comentário nio Facebook, onde tenho blog mais suscinto, livre e quase livre de moderadores externos. Por lá tenho um avatar, o meu verdadeiro eu, e com ela aventuro-me no mundo das mídias sociais mais abertas ( se é que de fato sejam livres... )! Motivo de surpresa para alguns mas eu fico no Face a perambular em busca de almas irmãs ou possibilidades de divulgar meus poemas, escritos ou opiniões pessoais. De fato ser poetisa por essas bandas da Internet é bem mais fardo do que afinidade ou sobrevivência sagaz. E saber que muitos mandam sequer umas palavrinhas de entendimento sobre meu trabalhinho é meio frustante em muitos aspectos, afe! E quem estiver lendo isso não pense que reclamo muito disso. apesar dos pesares atuais...

               Ao menos agradeço que esses 20  mil leitores que tenho aqui, se é que posso crer em estatísiticas da Recanto ou qualquer lugar, pois de vo a eles essas leituras que eles mesmo efetuam dia a dia. Somando tudo estou apenas no começo apesar de 4 anos seguidos no Recanto das Letras, o lugar incrível à disposição de quaisquer talentos como os meus. O baixo astral especificado diz é respeito ao tempo que espero TANTO pelas respostas dos meus leitores desconhecidos que devem de algum modo terem rostos e individualidade!

               Mais um passo. Mais um dilema de um ouriço ( kkkk ) ! E esta vida já complicada exige anseiso divulgados e poesias mais indicadas ao tempo. E só explicar as demoras dessa respostas esperadas e de outros fatos não mais me cabem resgatar...espero sempre que me perdoem as pontas que ainda faltam por enlaçar a respeito de mim mesma entre terceiros desconhecidos...

 

                            

                 É, realmente estou ficando "velhotinha" e carinha magrela...kkk

                    Mas essa carinha tá enxuta sim senhor! E outras 15 dizem o mesmo...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 04/08/2018 às 18h17
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
01/08/2018 21h02
Cançoneta não sonora...

              O momento que passo é extraordinário, o tudo ao alcande e um meigo computador a me servir sem reclamação ou "tilt" impensável. Ainda seguem as mil leituras, o trabalho que toma porcento do dia, e as noites que  me garante asseio, amôr, confiança e nada de televisão! Basta uma rodade de leituras, a cozinha à la carte, alguém me sussurrando juras femininas e PRONTO! Já estou calibrada a cada vez que esses dias tenham sido solenemente feitos pra mim, ainda em casa e com primadonas de besuntar o caldo...kkkkk  Um dia a outro e seguimos a fraterna canção, questionando a primavera.

              Espero ser muito mais loquaz futuramente, Ser uma CDF-GEEK de jeitão lésbico, cara fofinha, óculos em dia, queixinho grandinho, tudo isso não é pra qualquer uma como eu. Afe! OMGodess! Se é que exista um clone...ops!

              Nada a me queixar, longwe disso. Agora estou mais relaxada, pois o meio do ano se foi e caminhamos para mais um ano que antece outra década fortuita ou misteriosa. Quem sabe se este recanto das Letras não dure mais 25 anos e assim somamos 30 anos de feminismo em comundiade! Uhu! Uau - é o que eu diria, pra ser franca! Tenho uma tarefa e a minha vanguarda nunca irá sortir realização, contudo a tal posteridade saberá que uma lindeza escreveu   grandezas! Poetisa a seu dispor, se acaso uma "máquina do tempo" me fosse dada à disposição...kkkkkkkkkk 

              Sorria! Eu estou mais calminha e lhes mando risos feminis! Yeah!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 01/08/2018 às 21h02
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 2 de 70 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras