Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

PATRONA DO MÊS DE JANEIRO              
              Bárbara Heliodora (1758 – 1819)
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
26/11/2017 01h18
Essas minhas meninas...

              Ao menos eu pudesse falar tudo sobre todas daqui...

              São tantas lindezas comigo, guerreiras silenciosas, trabalhadeiras que unem à tsarde e fiocam à noite, dormem e me acompanham! Adoro a todas sem exceção. Tem umas delicadas como porcelana e outras que queriam casar mas nunca gostam de homens bobocas. Se pudesse eu virava homem e fazia bem o serviço, protegendo-as e amando com vara curta...quá, qué, mas isso seria irrelevante e engraçado de se ver. Pensei em até ter um pinto operado em mim pra satisfazer o vazio d emuitas, mas eulas preferem florestas e grelos plenos de viçosa perenidade...hah! Eu sou doida...penso cada uma...

              Sou aranha, perereca, sapato sem laço e tanta coisas nesta vida! Tambem sou quase home auqndo brigo e desço os tamnacos. MAs isso só ocorre lá fora quando encontro bestas quadradas que adoram me peitar e aporrinhar. Não sou tão machona, fortona assim. Contudo, he, he, he, tenho punhos muito chumbadinhos pra galera machista inconsequente aguentar! Nunca é de meu feitio agir assim, pois sou uma dama delicada, formada, secretária, adulta e muito valente nos momentos que necessitam! Muitas das moças da área me respeitam, amam, sabem e muitos homens tapados idem!

              De noite tenho perereca na gaiola aberta, de manhã o bicho pega se eu deixar, e esta vida\ louca do mundo tenta me desiludir. Sou poetisa e fujo disso pra manter posição e manter aparências de bondosa senhorita, porém tem coisas na vida que nem semore dá pra evitar-se! Aranha ou não , até eu esqueço a minha e chuto um monte de escrotos da frente, ora se faço...humf!

              Sou amor, prereca quentinha, doce beijoqueira, escritora falaz, amiga, arretada boa menina, não uso cuecas e detesto cigarros! Se acaso escapio da normalidade ninguém me segura mais! Sou carioca e nunca levo desaforo pra casa... aceiro a sapucaia e arrebento os cocos devidos...kkkkkkkkkkkkkkkkk

              Tenho mais que fazer do que falar de minha verve violenta que se faz presente só quando quero, pois. Tenho umas temáticas, prosas ou os textos a serem feitos e ando muito atrasada nesse meu diário nos últimios tempoos. Eu tenho mais que relevar as coisas e continuar o trabalho por cá. Faltas-me muito chão pra se fazer presente, poetisa e querida madame do casarão. Não sou de ficar folgada ou vagabundeando por aí, nada disso. Sou trabalho em equipe e trabalhadeira fogosa, tudo junto. E aranha-mãe,a ntes que me esqueça, uhu! Afe! 

               Nos próximos dias vou andar por a´pi, fazer exercíos, tomar água de coco, refrescar as idéias, sair com todas as quinze aqui de casa, papear na praça e paquerar leve as desavisadas do bairro, ih ih ih ih ih, danadas! Ui que doçura de sapatos femininos, seu Clodovil...viu! kkkkkkkkkkkkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 26/11/2017 às 01h18
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
22/11/2017 00h54
A aranha festiva, inconteste!

      Comemoro hoje vinte anos de decisões e tramas, teias e rendeiras! Todo um mundinho de festas já passou desde ontem de madruga. As menians dormioram comigo, dentro do quarto, TODAS LARGADAS ( sem sacanagem à vista )! E é só pra dormirmos juntas pra nos protegermos nessa data. Logo tenho fama de dona arnaha e suas cupinchas aranhinhas....kkk

      Aranha atarafeda essa que sou. Compro, invento e descompro tanto, numa velocidade de tecer qualquer teia lesbiana, a seu dispor! Entretanto gosto de ser assim, meio aracnídea, tentacular, "abraçadora" de quinze consortes ou amigas diletas. Tento ser mais aranha em todos os sentidos, mas tenho de pausar a outra que está aqui embaixo comigo, nos países relevantes...e esta tem que descansar a cada mês, senão...epa!

      Algumas d eminhas teias tem bolo a oferecer, pagamentos a fazer, idas ao banco pra aturar bancário tarado, comprar comida e o lanche das novinhas, ir ao trabalho aporrinahda pelos subservos ou secretárinhas, etc...ufa! Mas eu tenho limites, claro. Um dia pego na minha teia alguém que me roube o coração nerd que me cutuca pra realidade. E não quero homem, pôxa! Que tal uma dessas damas insatisfeitas e famintas por amoreco, só pra varia, né? Eu ainda quero tal ilusão, e que me aceite como sempre sou e tambem, idem, que aceitasse este harém lindo que tenho aqui. Todas concordam sem temeridade esta opção! Espero ter a minha princesa encantada um dia, que seja tão mais valente e amigona quanto eu aqui...e tenho dito! e ela não virá, sei disso... 

       Me acomodo bem na "teia" principal de casa, neste meu quarto-escritório- quartel general. Apesar do tanto que faço eu ainda encontro espaço pra amôr, tendências, complicações e para os dilemas de cada dia. Sou uma arnaha bem boazinha, pois evolui de abelha pra aracne sem espasmos ou zoeira que me irrite. E todas nos damos bem no nosso "reino" feminino, sem rainhas, certo?  E ser aranha me compete a ficar de iolhos abertos babados da casa, aos cochichos das minas, nas festas que dou só entre nós, os saraus intelectuais e todas as tarefas domésticas que temos de fazer, quer queiramos ou não. Cabe a mim o juízo das coisas, o advogar estriebiras emocionais de muitas, fazer as faturas serem pagas, as contas de luz e gás certinhas, por aí vai.

      E eu adorei esse desenhoa cima da aranha de calçinhas largas., bonitinha, fofinha e delicadinha. kkkkk Ela é quase o que sou/fui desde 1991, apesar de alguns rompantes de abelha-rainha que enervava a todo mundo, parei com isso. Ainda me considero rainha do harém cauteloso. Pelo menos nenhuma revolução de "xoxotas" ( kkkkk! ) aconteceu até agora desde os anos 90! Que alívio ter tão boas, meigas e tolerantes amigas ou amantes da literatura sem ócio...estamos todas em uníssono desde sempre! Isso sim!

     De fato sou líder nato, mulher bastante e lésbica militante, ma non troppo!

     Ai se eu fosse elegante, fofinha de calcinha aracne, magrinha como essa aranhazinha desse desenho do cabeçalho acima...afe...que luxo! kkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 22/11/2017 às 00h54
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
19/11/2017 22h00
Veste mulher menina

        Um pouco de fantasia verdadeira, tão solta e arretada de bom pra se escrever, lá vai:            

       "Tropeço na varanda, o jardim inteiro ri e as flôres estão sorrindo da conta, me zombando, e as fadas se escondem. E de menina me faço até rendeira, rancheira ou imaginativa. Logo a ver um mundo de lindezas espavoridas com a minha queda desapontável. Eu até fico a rir que nem louca, ao tentar contar quantas florzinhas e fada "fodinhas" estão me sacaneando e das outras que se fecham nas suas pétalas, envergonhadas, Afe, como sou danada de levar mil tombos! Que coisa mulher! Nunca daria pra ser dona de casa com marido babaca do lado...coisa loca! Ahá!

        A varanda se aguenta. Levanto. Espalho a poeira do chão nesta saia de cotelê tão cara de comprar. Rasguei a calcinha que mal costurei, fico braba e torço pra só rir de nervoso pra não dar azar. Todas as fadas (  não imaginárias, CERTO? ) estão de olho em meu afazer agora, pois se me levanto dterei de cuidar das plantinhas lindinhas delas. Ui, isso me deixa tonta sem contar! Que safadinhas aladas essas tais menininhas de asas! Alguém tá falando mal de minha calcinha rasgadinha...ui.

        E tambem machuquei o dedinho mindinho coitadim! Queixo-me em silêncio e lá vou e pego mertiolate e bandeide. Troço chato de cair assim com tanta roupa lavada que tava no cesto! Eca, tenho de relavar tudo! PQP! Me deixa eeivada de nervos ao pensar no trabaçhão. PArte da varanda é suja e eu tinha de cair nessa ramela de poeira de rua mesclada à poeira de casa. Ugh!

       Eu tinha de rasgar a calcinha, coisa? Pelo menos não foi esta sainha de cotelê deliciosa de usar, não manchou nadica de nada! Coisa de mulher fresca que cai no chão por qiualquer coisa. É a diabete, esta pressão, este coração operado, tudo concorre pra me deixar tonta nas horas mais bestas. Putz, não tô tão velha assim, cacete! Detesto é costurar a calcinha, pois eu logo vou e compro outras melhores pra mim. Essa feia jogo fora e pronto! Prefiro usar shortinho sem lingerie, mais prático né? Sou uma tonta meRmo! Uhu! kkkkk

       Se as "meninonas" daqui soubessem de tudo...

       De fato sou mesma atrapalhada com tudo em afazeres domésticos, e toda mulher tem de passar por isso, claro! Mesmo sendo tão lésbica, meio duriona, assim carente de tênis caros, seios fartos e cara de Nerd, sou um tufão de erros em casa! Caio a cada semana nesta joça de varanda mal feita. Quase quebro meus óculos-muletas(!) a cada vez. E todas aqui sabem dos meus prejuízos em roupas e talheres ou pratos. Sei não...

      Agora que vi e levantei, conheci de cara umas plantinahs quye mal notei outro dia por ali. E essas fadinhas, as quais nós escodemnos do mundo exterior ( pois somos umas malucas que só vêem fadas, gnomos, elementares, etc ) tudo passa a fazer parte da rotina. entretanto temos sempre surpresas no quintal. E ninguém acreditaruia em nós e mantemos segredo! Embora neste momento eu esteja falando disso naturalmente e cada um de vcs - os "meus" leitores - doravante sabem da coisa! Aqui  no Rio de Janeiro é normal termos loucas que pensam bem diferente das normais que não somos de fato, juro!

      Contudo estou ciente da sanidade da vida, a minha inclusive, e o chato é não dizer o TUDO que realmente acontece por cá! Aincda acho quer spomos encarnações d ebruxas do passado, tamanha a afinidade que temos com mediunidade ou seja lá o que for. Cair no chão e ver as criaturinhas tão nossas companheiras na comunidade ( a nossa! ) é normalissimo deveras! E são tantos que se refugiam de fora aqui em casa que nem ousamos expulsar a todos daqui! Duendes me livrem de fazer isso..

      Sim, a gente vê tais e tais seres pois somos umas médiuns travessas e adoramos receber umas visitas como gatos, hamsters, crianças, uns duendes, moças apertadas ou perdidas, de tal modo que não vejo ressalva alguma em recebê-los!. Já estgou acostumada a ver de tudo por ser mesmo uma paranormal de algum hjeito. Lá fora se ignora esses elementais, porém eu os vejo desde menina, tomei partido e agora vieram pra ficar. A grosso modo eu caio no chão e no jardim por culpa de algumas, mas nesse isntante não foi o caso. Ainda bem.

      Sse acham que fiquei maluca podem duvidar. Sou pé firme, sapato 42, mente afiada, educada, formada e muito travessa no quatrto. Entretanto nunca vou além da porta d ecasa e digo a qualquer um que vejo pequeninos! Sem essa, jamais! Já basta pra mim ser mal querida pela metade do bairro. Sendo lésbica, porém mesmo, tenho responsabilidades, segredinhos e boa fé na alma genti de minhas moçoilas...afe! Não quero levar palmadinhas de brutos lá fora, nem que eu queira sofrer...kkkkkkkkkkkkkkkkkk O que passamos aqui nos basta pra mantermos alerta nossos sentidos e nossa segurança.

     O jardim tá lindo que spo vendo. Nós e essas criautinhas trabalhamos bem, pois cada flôr bonita e diversos que não se encontram em nenhum outro lugas do estado do Rio. Eu prefiuro manter segredo em qual municipio acontece esse meu, nosso, milagre!  Jardineiros e cudiadores da região  já me disseram isso umas trocentas vezes! É cada flôr tesuda de linda que só guardando pra nós, isso sim! 

     Certo, nós nunca falamos da presença dessas pequeninas e outros mil bichaninho. Mas nunca as tratamos como animais dompésticas, mesmo que sejam uma pretenciosas "capetinhas" quando aprontam no jardim, e a gente leva muitos sustos por isso. Se todos souberem eu acabarei internada e as minhas "mocinhas" de "harém" ( ai ,que indelicado uff! ) ficarão na rua! No moemnto revelo a muitos, pois sei que ninguem daqui da região lê o meu bloguinho da Recanto. Audácia! jamais farei isso.

     Pois é, tenho plantas lindas, flores sensuais, fadas madrugadoras, fadinhas novinhas, gatos de rua e todo um hajkrdim com perfumes os mais variados. Isso me estimula tanto, mas tanto, que escrevo poesia e textos a cada cinco horas, se tanto! Verdade! Sério! Parece que a Elke Maravilha tá no pedaço e gosta de me ver assim, cercada, revolucionária, russa brazuca. E tenho uma gata que se chama Elke! Pode? Adoro pensar essas coisas...só risos!

      Depois da queda vem a poupança. E não é que caí de bunda na varanda e não notei? Agora dói, ai! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk E ainda tenho é de comprar mais calcinhas fofinhas pra mim, né marieta? kkkkkkkkkkkkk só de renda ou algodão nacional, tá?"

      E lá vou eu, adios mis amis...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 19/11/2017 às 22h00
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/11/2017 23h51
Ah, poderosissima! Dimais da conta, Consuelo!!!

   Me desculpem, mas hoje estou me sentindo poderosa com esta nova roupa formal que acabei de comprar pra fazer visitas à escritórios azuis e tal gente secretariada afins. E tudo por trabalho, se é que me entendem, mas nada de safadeza ou coisa feia que pensarem de mim, ok? Trabalho em empresas e no tempo livre sou esta delícia aqui que vos fala com sua mansuetude, atitude e feminitude...kkk tudo bem passadinho e genial.

  Sério! Eu trampo em fiirma bem conceituada e não direi nomes pra evitar bafafás tão comuns nesse mundino doido de engravatados. Sou lésbica ssumidinha, mulher, porém uma secretária especial e mandona por lá! Não queiram saber...ui!

   Esse desenho acima ( que não é bem meu, evidentemente, pois desenho até melhor... ) demonstra parte d emeu vestir semanal de trabalho. Como na real sou considerada "machona" entre novinhas iniciantes eu mando muito! E tem que se botar ordem nessa moçoilas de paletózinho flambé! Humpf, cpomo me cansa! OMG! Imaginem que por lá tenho cem namoradinhas doidas por mim, mas tudo reservada ou trabalhadeira que dá dó, claro! Deixe que as minhas meninas de casa saberem disso, mifu de toda! Afe!

   Espero que tenham entendido esta rápida passada por aqui no meu diariinho bonitinho....kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk e que me desculpem não falar mais...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 16/11/2017 às 23h51
 
11/11/2017 14h28
O meu esforço no destino e a dor

                

 

"Eu estava em meu desktop um dia desses, lá por Fevereiro de 2014, no dia 17, às sete da noite ( pois costumo mexer no computador nessas horas...sempre... ) e senti presença de alguém atrás de mim e virei a cabeça e nada vi. No entanto senti um odor de hospital e o cheiro materno de minha mãe. Em 30 minutos depois a porta me toca em casa e meu irmão me chega pertubado com uma noticia tristissima demais:"Olha titim, a nossa mãe morreu agora, morreu sorrindo na mesa de cirurgia há uma hora antes!" Meu irmão fez esse erro tão comum de darem a norícia com todo impacto e isso - não se faz de supetão! - me fez chorar demais semanas a fio! Não se dá tal notícia como uma bomba sem antes nos preparar pra o inevitável. Chorei seis semanas seguidas, pois amava minha mãe acima de tudo, mesmo nunca ter beijado ela em grande parte da vida e amado com mais afinco...a dor ainda é imensa pela falta dela e o meu descuido besta em cuidar pouco dela, e agora tô pagando por ser mau filho desde então...mas é a vida e tem que se conformar. Eu senti a presença dela e o cheiro no instante em que ela morreu hora antes...morrendo sorrindo na mesa de operações como me disseram, por pneumonia ou sequelas da operação pesada que sofreu...tadinha! É triste mesmo, ainda mais pra mim que era ligado demais nela, apesar de tudo, com a alma ou pelo afeto esfriado...! Sinto muita falta dela..."

                 (  texto retirado de uma de minhas crônicas e demais fatos meus ( 2017 ) )

 

 

                     

                "Onde palavras para desferir o golpe sem a dôr?
                   E olho em derredor cpm poesia sangramento,
                   a dedurar o pensar nessa espera dessa cura,
                   cativa a sentar, permanecer, estar é cansada
                   a cabeça plena de obscuros, pensando vasto
                   E onde procurar o verso válido para lamentar?" 
                                                                         ( Ju / 2016 )

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 11/11/2017 às 14h28



Página 2 de 56 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras