Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

 PATRONO DO MÊS DE OUTUBRO
   
                John Lennon ( ex-Beatle )
                                                 
                
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
28/09/2018 16h29
Jornaleco sacaninha

  

  Miau!

  Em alguma banca de jornais se encontra o "meu jornal", tanto favorito sem nenhum nome ainda, o qual ninguem lê e nem podem comprar. Ali está as palavras do mundo, os meus mais vistosos segredos lésbicos ou amarguras de mulher que sou. Compete ler a cada uma de suas linhas, cada página revirada em paródias dos meus risos, nunca fácil de se achar por qualquer transeunte, nele encontro umas desculpas, modéstias, os atos falhos demais. Pois tem é muita coisa aqui em cada edição. Bate me mim o coração de Camões...kkkk

   Cada página um algo a ser escrito quando passo meu olhar instigante numa busca pro novidades íntimas, seguros de mais vida ou até os verbetes nunca antes encilhados em versos, estes que aqui e ali padecem de comentários. e ne,le tenho tudo À mostra. Parece ter vários idiomas, se acaso olharmos com a conduta de censores ou mal-amados moderadores. E, sim, tem algo de muito prórpio que somente eu enconter: a verdade escondida! Ela que me ama e que destoa de existir no mundo, mas estará sempre viva e é esperta, mesmo que não desapareça de rodo.Este jornaleco é o meu precioso e sua editora é de outros mundos, os mais femininos possíveis...

   Seu custo minimo lhe permite ser meu, só meu. E a cada dia que lhe dou a vista de olhos,.revejo a linguagem de que é feito. Tem uma edição de luxo, um visú despojado de útil. Está à venda solamente para mim! Repasso suas páginas diversas vezes pra ver que algo muda a cada minuto, como se fosse meu íntimo incrédulo. Jornal de cunho meio mundano, e tem todo um abismo à disposição dos incautos que nele lêem. Na verdade nunca enxergam que nele spmente eu abro suas linhas escritas com seda.Por ali, nas entrelinhas somente enxergo o que outros vêem com outras formas ocultas por mim. Pena que só um leitor o conhece, o que por acaso sou eu mesma. Navego na verdade em suas páginas com frescor de moça, hábito de donzela ou suspiros reveladores. Um jornaleco que tem o mundo com vasto mundo, sim senhora!

   E por vezes me perco na poesia e encontro essas belezuras, em bancas de jornais de improdutivos leitores, onde fica a margem do cume de meus raros conehcimentos - onde seus fundadores morreram à muito...mas não entrei em detalhes quanto à sua dedicação de existir tão somente para minha pessoa. E estamos conversados...de louca ou arrivista só as muitas baratas da cozinha de casa...SOS!!!!

A origem desse periódico não te conto e estes conluios com a minha vã poesia são agora os substantivos de mil regras ainda que ( prezo que sim! ) nunca sejam gramaticais! Humpf! Não farejo mais que as sílabas, a me desprezarem, e estas oriundas das bocas desses meus sisudos críticos "forenses"...kkkkkk ( risos ) Direi convir estrelinhas...

E eu ainda encontro páginas de sacanagem, pornografia deliciosa e mulheres do meu jeito lésbico de gostar, um prazer ocultamente desfavorável à minha imagem de boa moça de outrora, in sic gloria mea...afe! Nunca renegarei essa saciedade ou impureza de meu ser...tentem fazer isso!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 28/09/2018 às 16h29
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras