Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

 PATRONO DO MÊS DE OUTUBRO
   
                John Lennon ( ex-Beatle )
                                                 
                
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
14/09/2018 18h46
Um conto desconto

            

          Seja eu mesma a minha cosnsorte rainha, no meu despotismo generoso, com a anarquia que reinará com coração francamente humana e que eu sinta ir pela estrada da virtude feminina complexa. Sou muito este meu reinado, sua consorte, o valente mundo somente seu, a maior das imperatrizes. Sou é tua e somos nossas, estamos é loucas por saber reger um continente de paixões em uma só primavera! Convenha-se em ser tu mesma a rainha de seu prórpio ser, sua alma deliciosa, o tudo que vamos ver. Afinal sou todas ou todas por uma! 

                             

           Me emocione com delícias, apetites generosos, as coisas do cardíaco modo de vida mulher. Sem esquecerdes das emoções a cada paladar de uma beijoca molhadinha. Sendo tua e sou sua, tudo meu ergo em prol das dívidas  do prazer servido. Ofereça-me dos céus o chover em terreno macio, aquecido sentimento, com essas oferendas além das lágrimas sorrindo! Somos todas as governantes de nosso corpo, nossas mentes, cada átomo emocionado. Afe! E que venha consolar minha fome parcionada em carências, entre todas nós, por mais loucas que fiquemos...

             

          Ao acordar seremos participantes, Seremos autoridades de um bem comum, deste conviver interminável por uma década, milênios, seja como for! E sempre teremos ao lado de snossa anfitriã reinante a sacerdotisa, a fada, a quase inocente co-irmã da rainha que escolhermos. Esta de tão poetisa, tão meiga do olhar, caridosa que em instantes nos agrada ver. Ela menina, moça, mulher pertecente a outro nivelar dos desejos calados. Uma patrícia de nossa "Roma" oculta, dentro da comunidade que desconhece conflitos, que nenhum homem repousa a sua atrocidade ou volúpia de poderes. Govermnamos com as duas, a Sentimental e a Rainha Mãe, mesmo que ignorem tronos ou meros cultos de personalidade infame. Somos todas reinantes, governadas assim!

                               

             Que outra não nos roube o faustoso tesouro de emoções, participantes de nosso legado, sem afrontar o que nos restar. Jamais furtes esta tal herança que conjugada entre nós pertence à outra jornada de outras maiores heroínas da vida que nos prejudica sempre.  Que outra mão se guie numa virtude, e que nunca nos retire um destino, uma rebeldia impossível de nos tirar, e indo além de nossos sentimentos ou posses calejadas! Temos o amor, o único lembrete que se tornou constituição de nossas vidinhas em casa, tão em conluio com a nossa bnecessidade de estarmos juntas. Somos todo um continente, sem as conquistas celeradas dos homens tôlos de fora...e nenbnuma ilha será grande para nos confortar a grandeza materna inconquistável!

 

                                                                                               Jurubiara, a única! Sorrindo e poetando...

                                       

 

PS:

                                                                                                                                "E eu não estou doida, não!! kkkkkkkkkkkkkk!"  

 

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 14/09/2018 às 18h46
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras