Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

  PATRONO DO MÊS DE NOVEMBRO
   
                           Madre Tereza de Calcutá
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
20/08/2018 16h43
Sou eu e o mundo, só na toca

               Lá fora a vida passa, retorna, progride ou só regride. Entre nós as coisas se assemelham muito igual. E eu fico a filosofar sobre essa mediocridade, porém não me entrego fácil à estrepolias da mente. No entanto é fato que a vida lá fora é doida. tem tudo pra nos endoidecer, tudo pra nos prejudicar ou não. Somos umas ilhas em pleno continente de amenidade mundana. Não me deixo levar por isso.

              Ando por este mundo como todos que conheço. A vida tem passado ao largo muitas vezes, nos azucrinando, e eu saio por aí para arejar as idéias. O que sei de lá fora é de assustar desavisados em plena selva de pedra louca. Estes fatos incomodam aos mil que pensam sossegados, que sabem pouco meditar sobre esta  realidade frouxa do mundo machista que não nos convém. Minha comunidade pequenina fica à mercê do materialismo urbano, das coisas bestas que só nos assolam nas notícias cambaintes da mídia. Reflito que sempre vejo o mundo a mudar a cada vez que dou às costas a isso tudo, mesmo quando entro em nosso ambiente sossegado. Ficamos alheios aos dilemas externos, portanto estamos de alerta quando as coisas vem até nós e nos prejudicam. A miséria do mundo nos deixa tristes, acostumadas a lamentar da sorte dos outros, e isso sobrevém numa época mais dificil agora. Espero ser lúcida pra entender e se fazer entender sobre esta realidade tôsca que oprime. E o homem dispõe a cada passo do progresso que devia ser bastante humano.

             Certo que há as coisas do mundo mau, as que são ruins, pérfidas ou regiamente agrilhoadas pelos homens de sempre. E sempre caio na misandria por conta desse ou daquele fato que eles corrompem. Não é culpa aminha existirem homens que pensam somente com duas cabeças e trocentas pernas, querendo almoçar o mundo inteiro e maltratar os gêneros. As mulheres pecam na tolice de crer numa ilusão da perfeição, casando ou amigando sem critério! e querem segurança, dinehiro e vida farta, mas acreditando que existem outras opções de viver. Moças se estragam numa realdiade quando percebem o erro tarde demais. De certo modo eu nunca poderei ser contra a essas desilusões onde caem todas as bobocas. cada um se fia pelo meio qu e domina ou se acaba dominada mesmo...

             Minha misandria diante desse urbanismo que nos cerca só se enerva quyando vejo homens a se enganarem, enganando a muitos e desenganado as virtudes alheias. Quantas moças sem opções despencam pra o matriarcado em casa, sem serviços melhores e com pouco ganho material? Sem progredir dentro de seu mundinho elas se esforçam e cometem os tais mesmo erros de nossas avós desavisadas de antanho: se casam, se iludem, desquitam, sofrem ou divorciam-se, mas jamais ficam alcançando a felicidade, só a dos filhos e etc...chatos esses pensamentos e dilemas de vida...argh!

            O mundo esterior só se torna um estorvo quando saio de casa com algumas intenções ( as de comprar, passear, visitar, sei lá... )! Vezes sem conta sou atiçada por dramas da vida, nas calçadas e ruas, observando o quanto de imbecil seria a minha vida pensante e normal se acaso eu estivesse casada com uma amenidade tôsca que se diz homem, padecendo temores e brigas infindas, permanecendo uma eterna tôla iludida por sorrisos? Sei não, pois eu confesso que jamais casarei por essa mera desilusão pretendida...afe!

             Vamos correr que o mundo corre sob nossos pésinhos. O que está do lado de lá pode ferir sentiomentos, nos fazer cair no sono das ambilidades enjoadas, sorrisos ignaros ou homens mal intencionados. Nem quero imaginar estar ao lado de umbabaca que só pensa em sexo, vidinha a dois e que dirá que o mundo inteiro se exploda por isso..nem ouso ir mais avante na melhor de uma imaginação! Prefiro fazer Cooper feito no calçadão...kkkkkkkkkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 20/08/2018 às 16h43
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras