Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

  PATRONO DO MÊS DE NOVEMBRO
   
                           Madre Tereza de Calcutá
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
27/07/2018 20h30
Reclames sem plim plim!

             Carta marcada, Bola fora. Um Quê de ternura saída do ôco do mundo, perdido e convencido. Tanto a prometer, a pisada na tampinha  e o erro de ser dos homens que não entendem a feminilidade e o feminismo aliado a isso... o tal poder machista que vive questionando o lugar de mulher no bem comum. Tudo uma furada constipação de valores, frescuras de macho ou trambiques emotivos em prol da sexualidad emonstro de sempre. E bem coitadas de  nós  a sermos abatidas em quarto, manietadas em video pornô, perdendo a virgindade sem escolha aparente, indo no papo ( e no sopapo ) dos homens que de valentes  só tem retórica vesga.

             Por ser o mundo ditado por tais normas masculinas a torto e direito, o que se pode fazer: BNos induzem a gostar de sair do forno e a nos cozinhar numa realidade só de manhas, sexo e nenhum videotape melhorzinho. Você se curará casando, depois cura-se os dois, se iludindo mesmo, volta e meia dez FILHOS ingratos! Uma tutameia d ejuras te convence, entregue os pontos, goze como se desse jeito na tara do coitado, tente fingir e meio mundo te olhará em suspense!

             Não caso eenm quero. Não passo na frente de carinhas afoitos pr as er motivo de assobios sem navio. gritos de garças engravidando ou ficando à mercê do medo, do prazer e dessa famigerada modernidade de donas de casa sem anseios livres. Procuro esquecer que devia eu mesma ser mãe solteira, a indignada solta no mundo, trabalhando feito louca, ganhando salários feitos por eles, patrões e taarados caseiros controlados. Não quero ser mulher do tipo que casa, se acomoda, vê o mundo parar, sacudir a poeira e esperar agrados na hora da janta bem feita. Nunca serei do tipo doméstica, nem pensar nessa probabilidade de classe mé(r)dia comum. Dou risada,namoro minhas lésbicas, tenho harém ( dane-se os moralistas! )! E daí que euzinha escolho ser o que deveras não devia acontecer de ser? Afirmo a minha bissexualidade mas náo dou braço a torcer diante de um tal casamento quimérico fadado ao despencar do tédio...imagine se vou querer homem para ssessorar meu intelecto, dominar minha TV e paquerar as minhas 15 conterrâneas liberadas? Diabo me livre!!

          Nunca devia ocorrer essa chatice d emeus reclames por isso. Mas soud o tipó intelectual, CDF de arrimo eterno, divulgadora de uma mundo materno bem mais sincero, correto e menos maasculinuizante. Posso ser lésbica  mas não sou dessas que anda de botinhas, curca e fica tão peluda pra se assumir machona...eu hein, sai dessa! Tenho mais liberdade de ser o que sou do que ser algo frívolo, motivo de piadinhas de soslaio....sou de outro nivel de lésbica, meu bem! Affee!

         Sei que pápos desse tipo nçao revelam mais que assunto pra psiquiatras de roldão ou patifes psicanalistas que vão querer que eu assuma "macheza" e coloque um pinto de defunto  ( irc! ) no lugar de minha linda vagina tão bem cuidada...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Sou é doida pra revelar mais, porém tenho de conter a verve militante feminista que carrego dentro de mim. Deuses meu!!!

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

          Lógico que fico é rindo, pois o quie tem de homens me encarando, me deixando vexada, tendo olhos de raios-x em cima de minha pessoa, felando o pinto embaixo das calças - isso tudo não é brincadeira, viu? Como mulher eem sido fáciul escapar desses dilemas diários, tiro de letra por estar acostumada a ignorar, responder à altura, sabendo bem do que os homens mais gostam, e no entanto uso pouco vestido, ppouca saia e tenho  muita calça comprida frouxa pra usar...humpf! A tara desses caras fica, ao que parece, na altura mais baixa de suas cinturas, sabem como é! Detesto reção a olhos vistos, argh! Misandria, é a resposta, a minha arma incomum, apelo à razão com apóio de um soco...

         Os homens que se cuidem, pois...não caso, não abro e não descuido!

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 27/07/2018 às 20h30
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras