Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

    PATRONO DO MÊS DE AGOSTO
         Related image
                       Victor Hugo ( Romancista Francês )
                      
                           

                
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
04/08/2018 18h17
As pontas que faltam e os outros...

               Sinto que nada lhes devo, nem confidenciarei que estou satisfeita. O que vier de bom grado de qualquer um está afiançado pelo meu respeito. Se sequer mandam comentários amigos ou cartinhas benéficas, de fato compreenderei um tanto. Um pouco d emim se preocupa pelo silêncio de meus  leitores de algum lugar distante. E se puderem traduzam em simpatia ou sinceridade as palavras que sempre espero com candura e sobriedade. Neste entanto eu nunca recebo, desde o início na Recanto, cartas ou visitas no meu blog peculair. Entretanto espero que saibam que ratifico um tantinho de tanto silêncio desse povo que me segue aqui.

               Bom, mesmo que não mandem nada, estarei compreensiva, apesar de uma espera d eanos por visitas por escrito no blog da Recanto. E olhe que isso se repete um pouco nos meus encargos e comentário nio Facebook, onde tenho blog mais suscinto, livre e quase livre de moderadores externos. Por lá tenho um avatar, o meu verdadeiro eu, e com ela aventuro-me no mundo das mídias sociais mais abertas ( se é que de fato sejam livres... )! Motivo de surpresa para alguns mas eu fico no Face a perambular em busca de almas irmãs ou possibilidades de divulgar meus poemas, escritos ou opiniões pessoais. De fato ser poetisa por essas bandas da Internet é bem mais fardo do que afinidade ou sobrevivência sagaz. E saber que muitos mandam sequer umas palavrinhas de entendimento sobre meu trabalhinho é meio frustante em muitos aspectos, afe! E quem estiver lendo isso não pense que reclamo muito disso. apesar dos pesares atuais...

               Ao menos agradeço que esses 20  mil leitores que tenho aqui, se é que posso crer em estatísiticas da Recanto ou qualquer lugar, pois de vo a eles essas leituras que eles mesmo efetuam dia a dia. Somando tudo estou apenas no começo apesar de 4 anos seguidos no Recanto das Letras, o lugar incrível à disposição de quaisquer talentos como os meus. O baixo astral especificado diz é respeito ao tempo que espero TANTO pelas respostas dos meus leitores desconhecidos que devem de algum modo terem rostos e individualidade!

               Mais um passo. Mais um dilema de um ouriço ( kkkk ) ! E esta vida já complicada exige anseiso divulgados e poesias mais indicadas ao tempo. E só explicar as demoras dessa respostas esperadas e de outros fatos não mais me cabem resgatar...espero sempre que me perdoem as pontas que ainda faltam por enlaçar a respeito de mim mesma entre terceiros desconhecidos...

 

                            

                 É, realmente estou ficando "velhotinha" e carinha magrela...kkk

                    Mas essa carinha tá enxuta sim senhor! E outras 15 dizem o mesmo...


Publicado por Jurubiara Zeloso em 04/08/2018 às 18h17
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
01/08/2018 21h02
Cançoneta não sonora...

              O momento que passo é extraordinário, o tudo ao alcande e um meigo computador a me servir sem reclamação ou "tilt" impensável. Ainda seguem as mil leituras, o trabalho que toma porcento do dia, e as noites que  me garante asseio, amôr, confiança e nada de televisão! Basta uma rodade de leituras, a cozinha à la carte, alguém me sussurrando juras femininas e PRONTO! Já estou calibrada a cada vez que esses dias tenham sido solenemente feitos pra mim, ainda em casa e com primadonas de besuntar o caldo...kkkkk  Um dia a outro e seguimos a fraterna canção, questionando a primavera.

              Espero ser muito mais loquaz futuramente, Ser uma CDF-GEEK de jeitão lésbico, cara fofinha, óculos em dia, queixinho grandinho, tudo isso não é pra qualquer uma como eu. Afe! OMGodess! Se é que exista um clone...ops!

              Nada a me queixar, longwe disso. Agora estou mais relaxada, pois o meio do ano se foi e caminhamos para mais um ano que antece outra década fortuita ou misteriosa. Quem sabe se este recanto das Letras não dure mais 25 anos e assim somamos 30 anos de feminismo em comundiade! Uhu! Uau - é o que eu diria, pra ser franca! Tenho uma tarefa e a minha vanguarda nunca irá sortir realização, contudo a tal posteridade saberá que uma lindeza escreveu   grandezas! Poetisa a seu dispor, se acaso uma "máquina do tempo" me fosse dada à disposição...kkkkkkkkkk 

              Sorria! Eu estou mais calminha e lhes mando risos feminis! Yeah!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 01/08/2018 às 21h02
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/07/2018 20h58
Zanga e suspiro

    

Não vem com paquera, pois agora em diante a paquera é crime de algum jeito, viu, meu caro ilustre homenzinho..? Ha ha ha! Mas estou de zanga de todo jeito ao ver o feminicídio se espalhando em território convencido de ser nosso!


Publicado por Jurubiara Zeloso em 30/07/2018 às 20h58
 
27/07/2018 20h30
Reclames sem plim plim!

             Carta marcada, Bola fora. Um Quê de ternura saída do ôco do mundo, perdido e convencido. Tanto a prometer, a pisada na tampinha  e o erro de ser dos homens que não entendem a feminilidade e o feminismo aliado a isso... o tal poder machista que vive questionando o lugar de mulher no bem comum. Tudo uma furada constipação de valores, frescuras de macho ou trambiques emotivos em prol da sexualidad emonstro de sempre. E bem coitadas de  nós  a sermos abatidas em quarto, manietadas em video pornô, perdendo a virgindade sem escolha aparente, indo no papo ( e no sopapo ) dos homens que de valentes  só tem retórica vesga.

             Por ser o mundo ditado por tais normas masculinas a torto e direito, o que se pode fazer: BNos induzem a gostar de sair do forno e a nos cozinhar numa realidade só de manhas, sexo e nenhum videotape melhorzinho. Você se curará casando, depois cura-se os dois, se iludindo mesmo, volta e meia dez FILHOS ingratos! Uma tutameia d ejuras te convence, entregue os pontos, goze como se desse jeito na tara do coitado, tente fingir e meio mundo te olhará em suspense!

             Não caso eenm quero. Não passo na frente de carinhas afoitos pr as er motivo de assobios sem navio. gritos de garças engravidando ou ficando à mercê do medo, do prazer e dessa famigerada modernidade de donas de casa sem anseios livres. Procuro esquecer que devia eu mesma ser mãe solteira, a indignada solta no mundo, trabalhando feito louca, ganhando salários feitos por eles, patrões e taarados caseiros controlados. Não quero ser mulher do tipo que casa, se acomoda, vê o mundo parar, sacudir a poeira e esperar agrados na hora da janta bem feita. Nunca serei do tipo doméstica, nem pensar nessa probabilidade de classe mé(r)dia comum. Dou risada,namoro minhas lésbicas, tenho harém ( dane-se os moralistas! )! E daí que euzinha escolho ser o que deveras não devia acontecer de ser? Afirmo a minha bissexualidade mas náo dou braço a torcer diante de um tal casamento quimérico fadado ao despencar do tédio...imagine se vou querer homem para ssessorar meu intelecto, dominar minha TV e paquerar as minhas 15 conterrâneas liberadas? Diabo me livre!!

          Nunca devia ocorrer essa chatice d emeus reclames por isso. Mas soud o tipó intelectual, CDF de arrimo eterno, divulgadora de uma mundo materno bem mais sincero, correto e menos maasculinuizante. Posso ser lésbica  mas não sou dessas que anda de botinhas, curca e fica tão peluda pra se assumir machona...eu hein, sai dessa! Tenho mais liberdade de ser o que sou do que ser algo frívolo, motivo de piadinhas de soslaio....sou de outro nivel de lésbica, meu bem! Affee!

         Sei que pápos desse tipo nçao revelam mais que assunto pra psiquiatras de roldão ou patifes psicanalistas que vão querer que eu assuma "macheza" e coloque um pinto de defunto  ( irc! ) no lugar de minha linda vagina tão bem cuidada...kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Sou é doida pra revelar mais, porém tenho de conter a verve militante feminista que carrego dentro de mim. Deuses meu!!!

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

          Lógico que fico é rindo, pois o quie tem de homens me encarando, me deixando vexada, tendo olhos de raios-x em cima de minha pessoa, felando o pinto embaixo das calças - isso tudo não é brincadeira, viu? Como mulher eem sido fáciul escapar desses dilemas diários, tiro de letra por estar acostumada a ignorar, responder à altura, sabendo bem do que os homens mais gostam, e no entanto uso pouco vestido, ppouca saia e tenho  muita calça comprida frouxa pra usar...humpf! A tara desses caras fica, ao que parece, na altura mais baixa de suas cinturas, sabem como é! Detesto reção a olhos vistos, argh! Misandria, é a resposta, a minha arma incomum, apelo à razão com apóio de um soco...

         Os homens que se cuidem, pois...não caso, não abro e não descuido!

 

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 27/07/2018 às 20h30
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
23/07/2018 17h11
Onde vais e que queres?

              Para cada passo um pesar, pra cada andar um destinar e por cada ida há o retornar completo...mas nem sempre...

              E por dizer que caminhamos, mesmo sem as caravanas, longe do contrário deslize do destino que assombra, somos uns andarilhos na estrada. Qualquer estrada por assim deizer, mesmo que física se faça existente. E sou das que perambulam com senso responsável, mulher conhecida por manter a braveza de ser poeta num mundo meio louco dos homens. Daquels que não se afetam por mim, me evitam ou que sequer convencem um diálogo aberto. Vai que por aí anda  misandria e me canso de vez e os ignoro para sempre. A estrada  lhes será mais longa...

              Ouso dizer que avanço as aléias e as avenidas com uns pés ligeiros, sem salto alto que detesto, com tênis ou sandálias lindas ( bem vestida e nada ao estil besta de uma Lady Godiva tupiniquim, afe! ) tendo em vista que eu só almejo algum caminho e ir até a uma boa livraria daquelas que A D O R O de montão é um deleite! O meu senso crítico, aliás, me faz ser uma costumeira frequentadora dessas meio lojinhas bijou, livrarias ocultas, cantinhos da vovó, brechós maneiros, etcetera. Ah, delícia ser uma moça encalhadinha ( epa! ) e poder ir onde quiser, sem fronteiras, sem descaminhos! A poesia me reflete a dizer essas coisas. Estou entre senhora e senhorita sapatinho...

              Sou a senhora poesia, mulher de muito dotes, CDF orgulhosa, lésbica atuante, valentona nas horas alugadas erradas, senhorita do seu destino, plena de amores em casa, em lugares que me aceitem, amigos a dar com o pau. De certo modo não desapego do meuu jeitinho carioca de ser, mas não vou a praia por temer mostrar coisninhas fenomenais de minha persona: peitos, coxas e pernocas -  essas coisas que alarmem os machos babacas de plantão. Humpf! Não tenho mêda totalmente mas evito praia e usar maiô ou um biquini ( horror! ) somente para evitar os olhares safados para mim. E olhaí que sou um mau pedaço de caminho, porém nada de sem vergonhice, ao contrário. Ei, eu me olho nos espelhos também, né? Ora, sou filha de um Zeus, "MInerva" ao seu dispor...kkkk  me divirto!       

               Poetisa sim, desbravadora nem tanto, talvez a vanguardeira e já disse isso antes. Entretanto tenho muitos caminhos, vias ou atalhos pra seguri, com bom ou mau humor, convenhamos. E como é sou muito dada a falar demais neste diário salutar ( ui! ) eu compenso as falhas indo a lugarespra distrair, numa praça, namoricando umas festivas co-irmãs xavecadas facilmente. Uma loba ainda é uma loba, mas confesso que minhas presas são muito ariscas, mas jamais renego essa vontade conpíscua de correr atrás.  E eu amo mulher assim, à espera, com vagar do tempo, sem pressa - mas tem umas 15 que não me escapam jamais! kkk e elas sabem disso! Nãoé tão mal assim ser o qu e sou, não é mesmo? Já sou escoalda na estrada da vida pra entender esta raça humana enjoada a qual pertenço penosamente. Hah! 

             Neste momento eu sinto que a estradinha  não é mais complicada de seguir. Nesse ínterim me convenço qiue tem valido ir sempre adiante, mesmo que tropeçanndo sem ninguém ver ou a confundir. Valendo a pena seguir-se entre escolhos e as felicidades poucas tem sido uma prolongada viagem desde mocinha, não costumo olhar mesmo para trás se acaso que compreendem. O falr de mim nem sempore leva em conta quem machuco ou mal compreende as coisas. Mesmo estando misândrica ainda sei que vivo num mundo de meras humanidades fajutas, ilusões do ser e do pertencer a outros. Minha poesia me acalma, sustenta enfim. Não será um passo ou dois que vai me afetar os pés cansadinhos. Estou à mercê do destino, que mal escolhido, apesar de fatores mundanos, me redime das incertezas antigas. Caminhar é só um prazer que me faz ir a lugares bons, sendo eu mesma a cada hora passada.

            Não reclamo. Tenho pés ligeiros, não uso salto alto e faço a festa onde der o,meu percurso. Andemos que o tempo não anda, só acelera! E eu sei que chegarei a um lugar, perdida nas palavras ou amada despistada do amôr dos homens...inda que à tardinha a liberdade seja muita...

    


Publicado por Jurubiara Zeloso em 23/07/2018 às 17h11
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 68 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras