Jurubiara Zeloso, Amigos e as Amantes

 "Os homens e as mulheres de boa aparência não vivem muito tempo..."

 PATRONO DO MÊS DE NOVEMBRO   
                       Castro Alves ( poeta brasileiro )
    
       Não vão dormir, coelhas garotinhas e moçoilos...

             Não sejam gulosos e não me olhem assim! 
         


      
 O desejo de ser está na escrita, a de pertencer
        ao mundo que sendo menos criativo precisa
        de gente que saiba viver, escancarar as novas
         fronteiras, rasgar corações, saber a tudo fazer.
        Toda poesia e belos escritos com primor que
        não só pertencem ao escritor mas a quem o
        ama pelas palavras e conhecimento da vida..
        Isolar-se jamais! Apenas adentrar mundo ou
        das maravilhas da alma poeta e escritora!
        Somos amantes da vida, das coisas que só
        compensam e tambem as que recompensam.
        E não basta ler tudo...meus amores...e a esta
        hora do momento a loucura, a vanguarda, a
       insana possibilidade de abrir portais e cenas
       do amanhã ´meu trilhar, e com essas ideações
       posso entreabrir a porta da literatura desse
       amanhã e compreender algo que fomenta meus
       anseios  de poetisa libertária e renovadora.
       Os outros que descubram por si mesmos o que
       aqui exponho diariamente, e ler muito e viver
       a vida não será o tudo e o TODO que realmente
       nos importa! Afe...sejam bem recebidos aqui...





 
     E TEMOS QUE FICAR ALERTAS E EVITAR DESASTRES....

     

            


                  MENINAS EU VI
         


              

                
     
             



            


              


              


          



  

  A luz do mundo é uma mulher. A Terra a outra mais amada!
               



A arte é feminina. O pincel amabilidade. A côr um só amôr!


    


       
         
       A Apanhadora do Campo de Bamboleio...


 


 
         


  
Meu Diário
08/11/2017 22h15
Meu temor caladinha

       Teve época que falar menos me tirava o dom de ser mulher que fala demais, oque todas nós fazemos dia a dia. Tive de aprender a me calar nas horas corretas ou na incerteza me emudecia muito diante da censura de terceiros "melhores" do que eu! Tem momentos que liberdade de expressão é tosca e falha demais, ou fala-se da boca pra fora ou nos queixamos à toa de falar pouco, com aquela ânsia de um livre pensar impedido, e entretando a tal liberdade que desejo fica inerte diante do fato sem cura, e ela nem passa perto na hora H. E é autoridade machista, a lei marciana do desrespeito ao suspeito e só fica nisso. E falar alto sem estgar com rabo preso à políticos ou sobre o que está errado pode render aborrecimentos frouxos. Um Brazyl em que vivo como retrato de uma era mito. Afe! Eu mereço!

       Noutros tempos eu nem sequer falava mesmo pra evitar burrice vindo pra cima de mim. Tive medo uns tempos de falar verdades, abrir o berreiro, tudo por viver numa nação retrógrada, má entendida e subdesenvolvidad e qualquer jeito..e tem gente que mete medo por estar acima de sua conduta, maltratando quem ousa falar até demais de certas coisas. Censura que me custava calra o bico, mais por ser mulher e lésbica não-violenta. Sou de paz e prefiro o silêncio que toda gente como eu aprende quando de saias você está em minoria no meio de calças.  Ser subversiva é se sincera, falar palavrão mesmo, evitar desastres amorosos, ser eu mesma a cada minuto de ser feminina. Posso é gostar de mulher, mas sou mulher, um tanto diversa se assim pensarem, ora bolas! Aliás, nem bolas eu tenho...se tivesse enfiava eles entre as pernas quem nem cachorro com rabo entre as patas! E nem sei como homem reage diante de um cala-boca bem dado...

       A razão de calar é mais por sabedoria. Pois não adianta ladrar baixo diante de feras gritando com você. Eu sei bem oque é ser negada a simples menção aos direitos das  mulheres, coisa e tal. Se bem que ser uma lésbica com esse pessoal faz a coisa subir um patamar e assim nem somos mais consideradas mulheres  no mais estrito bom senso! Quando se é homem fica bem o caluda, o quietinho, assim temendo apanhar de autoritários ou de homens dementes em seu cargo. Tudo a ver quando a paróquia descrêr, é o que sempre direi!

       Tive bons momentos de aprendizado silencioso diante disso. Sou mais revolucionária cismada agora do que rebelde anteriormente. Se algo vai mal esperemos a solução, o karma envolvido, as coisa se aclararem mais. Se pedem pra te calar o bico olhe na cara do sujeito, nada fale e somentge sorria tossindo. Um dia ele vai aprender duramente a me respeitar ou à outras mais coitadas heterossexuais, as mais coquetes. Se não adianta expressar-se algo fique na sua e sorria com lábios bem pintadinhos, infelizmente. O mundo está cada vez mais doido, violento, exacerbado e sempre sobra bastante pra nós, mulherinhas complicadinhas. E eu sou lésbica e MULHER, sacou?

        Hoje tenho liberdade de sobra! Escrevo, desenho, falo abobrinhas como todas, namoro sapecas, caço além das ilhas de Lesbos, como, janto, não bebo e não tenho vícios bestas! Sou uma carioquinha limpa, de alma lavada com roupas tesudas, uso calcinhas de lã ou algodão ( ui! ) e estou  na Recanto das Letras MARAVILHOSA copmo sempre! Sou livre pra falar aqui e eu mesma me recondiciono e me vigio pra evitar encrencas. Ah, mas eu sou muito dada a escancarar tudo, a falar palavrões do caralho, bato, brinco e danço pacas! Este meu mundinho levou décadas pra se assenhorar perfeito se quisermos. E d efato sou assim e nunca mudarei sílabas, nem calarei muito. Embora isso tudo pareça paradoxos ou sei lá o quê ( ai, santa! ) adoro ser como sou! Claro que me policio aqui pra evitar ser expulsa ( nada posso fazer contra moderadores, estando  eles corretos ou não...buá! ) como em tantos lugare como no boçal Facebook ( Horro! Moderadores monstros! ) ou determinado blog machista e meio corrosivo como o OVNI HOJE ( argh! Me arrependi por lá! ). Ah, sim eu dou nome aos bois sim senhor...que saco... 

        Censura, cala-boca, shhh, e outros corolários da mente suja de muitos moralistas de linha caduca, tudo isso me irrita e não gosto desde menina. Um dia tive mal bocado por falar mal do regime ( começos dos anos 80, por aí  e eu era novinha e taradinha, kkkkk ) e dizer rebeldias inúmeras, fazendo muitos amigos temerem a minha sorte com oadolescente arisca e intelectual! Lêdo engano sem ivo...kkkkk e como podem ver eu sou das antigas no momento, desde priscas eras nos anos 90!, a aprende falr complicado e ser poeta sem calcinha nas horas vagas de casa...epa! 

        Pôxa, eu tinha mais para falar sobre o quanto sofri por só falar demais e ainda mais com esse temor de censuras de algum lugar...será que volto pra escola com envelopes pardos comprometedores outra vez? e essa boquinha santa qyue tenho aqui ainda tem muita vulgaridade bendita pra se espalhar ou a segredar aos meus leitores mudinhos..e, pôrra, ninguém me visita na minha seção de cartas no  meu blog?

                       

 

                         

                          A agente moçoila 002469 de outros tempos!   

                            xiiii, sei não...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 08/11/2017 às 22h15
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
05/11/2017 21h27
O melhor sempre vem aí

           Djóia saber que nem tudo são espinhos, cordas frouxas e as manias de modinhas. Tudo na vida tem seu espaço, seu bem-dizer ou sua estripulia para o erro. Sou de fato sortuda por pensar sempre animada com a esperança de ser a sempre amada, mas nem sempre agradamos a muitos - sei disso bem. Se é para o mal que venha rápido o bem pra compensar os sonhos roídos pela vida. E com poesia eu estou eternamente em gratidão com a realidade que machuca, que dá surpresas e que recompensa quando quer. Nosso destino depende uem parte da aceitação de que o ruim sempre será irrelavante se a felicidade nos sorri a cada hora com amigos, ou com vizinhos humorados, afins e antenados. 

           Sempre me alertei de tudo que aborrece ou fere a alma desprevinida. Agora já sou mais forte, isso é certo. Antes alguma menina, surporesa com o mundo doido de lá fora, e ah, mas hoje sou é bem mais informada, sabida de montão! Numa e outra escola tivce aprendizado. Na vida tive de tudo inexato, o muito suficiente impossível de evitar para desmontarem o meu mundinho peculiar de moça. E a mamãe sempre a orientar, claro. O mundo entende-se como a escola feita para educarmos sem mestres. Se bem que um destino, o aprendizado de conhecer a humanidade, o tanto que nos insatisfaz no amôr e na guerra, tudo o mais nos deixa mais sábio. E creio  que sendo intelifgente, a mulher poetiosa de antemão, aprendiz eterna; e é isso que importa mais...

          Meu mundinho de leituras intensas, esta poesia que se comisera com o tento que sofro sozinha como mulher - apesar de tanta gente ao meu ladinho - e as vitórias pessoai, tem é muito me deixado firme nos propósitos e planos para o futuro. Não mudarei por nada que me desfaça desses fatos realistas. Sou completa, complexa, concedendo de si o bastantezinho pra deixar uma "marquinha" neste mundo fátuo ( epa, falei difícil! eh-eh) . O duro é estar aqui neste país cismado, desperovido de tantos recursinhos bobos, mas não me queixo demasiado pois sou cidadã e brasileira na sua, só não mexam no meu bolso...kkkk E se tantos não lêem ou não sobrevivem muito em nada poderia fazer no sentido de tomar a bandeira e sair pregando mudanças infames que sequer ajudam. Deveras eu deveria fazer deste espaço uma "escolinha" para os desavisados, os quais serão quase iguais a mim quando tiveram de passar pela escola da vida complicada. Eu sei disso, por isso jamais me gabarei de ser mais que  uma poetisa que nunca chama atenção mesmo. Ao menos fosse famosa, ou poderosa até, eu teria meios pra auxiliar a muitos despauperados.

         No entanto eu brado alto em meus escritos. Sou dotada, maravilhosa e lésbica consciente de sua sexualidade sem culpas. Escrevo suficiente pra chamar um pouqinho a atenção de alguns. Perco por achar que isso que faço ainda seja pouco um tanto, mas sou equilibrada e possoo ir mais olionge em meu terreno literário escusado por terceiros. Claro que tenho coisas boas a mais fora da mpídia emque estou. Um dia farei fama e responderei a repórteres ( ai, que luxo mané! uhu, e já estarei extasiada! ) mesmo que sequer eu seja reconhecida por tão pouco. Na verdade nem quero isso, só o progresso numa direção que faça outros mais sabidos que euzinha aqui. MInha vida é, de certo  modo, verbos e delitos gramaticais que se fazer sempre e com sempre poesia vera! E altaneira falarei alto em papel, em versos, nas patavinas que ninguém ousará falar de outra maneira. entretanto  para o meu nbnem estarei renovada, combativa, se expressando nas entrelinhas, fazendo esvair este sofrimento que me habita quando solitária. Dama solitária, a poetisa, a camarada, a estimulada eternamente! Eita ferro!

        Sim, eu quero me gabar do conhecimento que me acostuma. Quero é mais e  mais em direção ao patamar que me elve acima dos homens tôlos e de sua sexualidade bélica incessante. Faço até tripas coração, contudo eu nunca me arredarei o pé da minha morada ou quartel-general. He, he, he, he,,,

           Por ora adormeço mais  um dia encantada pela surpresa de cada noirte e a esperana numa aurora correta de amanhã. Esperança é o meu vestir, meu alimento sagrado, meu empolgante alimento da escrita. Poesia é estar no meu sangue, por falar nisso com mais altiva amplitude. Estou a bradar a cada dia escondida nos textos d eminha klavra incessante! Ninguém me tira esse direito conquistado ao longo de tantas décadas de formação. Uhu! Que permaneço a fiel senhora de meus ideias, sem patetas vintages decomposições vindas de terceiros. E não devo nada a nuinguém mesmo! Falo, olho, escrevo e te digo... 

         Adieu mon amis, até a próxima delonga...miau!]

         E logo mais estarei pegando fogo por ser tão menina levada...

         kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

   

 

             

Tenho que polir grades pra evitar invasão de taradinhos, colocar as tampinhas certas nas canetinhas e lembrar da carteira escolar favorita com meu balanço emocional de outrora...vcs me entendem não é? Não sou tão sacana não, viu? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 05/11/2017 às 21h27
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/11/2017 18h46
Na paz da maionese

    Hoje vou viajar um pouco  na imaginação, no imaginário, no louco poetar de minha predileção, claro! Que me desculpem os puristas ou bobocas que nunca aceitam diferenças vivas ou uma mulher pra lá de divertida, vanguardeira toda poetisa de carne e osso, ademais,  ainda tem o meu sangue que dou em prol da minha aventura d ecada dia...iupi! Divirtam-se...e cuidado vocês aí que fui longe DEMAIS, pra falar a verdade verdadeira de sempre...afe! E achei legal e bem da hora expor algo aqui BEM diferente do normal nos textos do meu "site" e por aí vai...kkkk vamulá!

 

"De verde é este meu delito, os meus delírios poéticos, a minha verde flora de meu chapéu comprado de alguma lojinha MUITO louca que não direi o nome. De verdes passos foi e é meu costume desde pequenitita. Mas agora pareço ser uma tia sem familiares, sei lá. E eu não tive escolhas peculiares a saudável vida de moça comum. Mas em minha mente fresquinha de mil idéias sou algo bem mais que uma normal dama sensível e responsável, ui, sei não! Que os outros pensem como quiserem sobre isso de mim...pedante e pisante, se quiserem!

Todavia meu jardim de vida é verde, pulsante d eclorofila imaginária, talvez a louca varanda de insetos hominídeos sem noção. Irc! Verdejante tem sido esta luta em casa por jardinagem melhor ou poesias especulativas. Sempre isso colocando em minha linda cabecinha com cabelinhos rebeldes, como fadinha de flora revolucionária. Capito e não capito, e que os outros entendam tudo do que estou falando aqui, Contudo sou livre, livresca, lírio e poetisa, portsanto só isso bata-me, mesmo que meu jardim me ofereça o verdinho de meus enlevos diários..pois até no chapéus elegantes mais caros de minha predileção manjo de florezinhas e um matinho pra enfeitar...mas alguém me entenderá mal se isso sair fora do contexto de meu amor por flores ou verdes matagais de meu jardim...adoro imenso as flores e tudo mais mesmo!!!

Falta-me endurecer como jarro pra conter tantas variedades "verdresca" - epa! - de flôres cheirosas e algumas delicadinhas. Ai, como sou amalucada em dizer tanta frescurinha...kkkkkkkkkkk Entretanto sou assim mesmo e dane-se! Sói estou a dizer muito pra confirmar que tenho pendores e paixões por tudo que é verde, natureba, delicado ou insubstituível nos vasos de casa. Minhas doces "meninas" tão lésbianas e amigas "confeitadas" ( Sim, deveras! Tudo trans ou hermafroditas, seja como for... ) me adoram pensar assim fora do comum. Eu sou, já disse antes, uma vanguardeira de minha paz de espírito doméstico. E quem sabe se estou bem pedante pra aporrinhar quem tanto custa muito a me entender como pessoa, mulher, bissexual ou sei lá mais o quê...kkkk! Tão bão ser mulher, gostar de mulher e plantar esperançazinhas verdocas...kkk!

Não estou a falr de maconha ou "plantas" que tais tão nojentinhas. Estou é de alegria ao afirmar os meus pendores infantes pelo verdejante canto de vida do nosso vasto quintal do casarão da nossa comunidade. Falo muito com razão pois eu gosto de enfeitar meu quarto com mimosas, rosas sem espinhos, uns lilases e vários lírios deliciosamente bem colhidos. Posso é estar sendo uma indigna por extrair tantas flores de suas raízes e colocá-las em vasos de barro. Contudo eu me acho bem de consciência "ecológica" incipiente e tal, apesar do tantoque o mundo precoisa de tgantas flores, esperança, e que nem sei mais.

Porém, por isso tudo, eu prefiro comprar em lojas já prontas e lindas de se ver, cheirar e contemplar! De flores é meu ninho, de encantos florais é o meu covil de lôba, o resto é o mundo que peregrino com a mente e o desejar. Falta-me o amôr completo, mas tenho tantas paixões ( cerca de umas quinze moçoilas , se preferirem argumentar sobre isso... ) que me completam externamente. Por dentro ainda sou alguma esperançosa solitária lesbiquinha de óculos caros, com pensamentos altos...pois é...

De chá verde, camomila e quebra-pedras é o meu costume. E meus vasinhos de delícias florais inquietantes são o meu apanágio pessoal demonstrativo de meus enlevos, calcada em minhas "musas" intagíveis que me deixam penar na escrita com muito vigor. Sem elas, as flores - e suas fadinhas se é que existem e eu vi uma certa vez, tudo de mim estaria acabado e sem gracinhas. De fato sou uma independente emotiva do verde-floresta e do "azul-vida-boa" que tanto amo na vida! Um dia moraremos numa floresta mais linda que encontrar, se der! 

Até minha calcinha é verde abacate,apesar de milhares delas no armáriuo, se acaso quiserem saber! Ufa! Vero! Horas e outras iuso até cuecas macias das boas marcas masulinas ( porque não? ) pra ficar bem lésbica lindissima e mais afoitamente poderosa! Uhu! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

É isso aí!" 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 02/11/2017 às 18h46
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/10/2017 10h33
Mona mutante!

O negócio é modernizar sempre. Na boa e com avanços. Ir sempre pra frente, sem importar a mutação generosa dos modos, amores ou valores perdidos. E eu estoupronte, minhas moças amáveis idem e o mundo que aguentem as mudanças ou minhas vibrações modestas! Uhu! Já coloco esta mona lindinha no embalo da modernidade cambiante, eternamente nossa musa do sorriso esotérico de vanguarda...quem entender, sacou o lance...obrigado, Leonardo de outros tempos! Agora estou no melhor de minha "Renascença" tão peculair em casa!! kkkkkkkkk


Publicado por Jurubiara Zeloso em 30/10/2017 às 10h33
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
25/10/2017 21h56
Recadinhos...poucos...

Leia mais, se informe mais, não se apresse e só compre livros se puder, se der ou como quiser.  Não se precipite no que aprende ou deixou de saber. Ler é a função principal e os livros as ferramentas essenciais. Não se queixe do não querer e do que não possa comprar, faz parte da vida do leitor mediano mais comum...entre em sebos e se maravilhe com pechinchas, apesar de tudo com livros usados a comprar, bem mais em conta. Lembre-se de que ler sempre será o fundamental de qualquer modo pra educar-se meritoriamente...

 

Claro que ler é tudo. Mas ainda assim é necessário sacrifícios de toda ordem. Na vida e na leitura o que vale é saber se virar ou tentar saber mais que puder. Só que na vida a prática te faz viver ou sobreviver na realidade. Quanto ao hábito de sempre ler - terá de se habituar mesmo - é apenas a educação que medrará silenciosa em sua mente, a qual te faz entender o que eu digo aqui. Leia muito de muitos. Nunca se prenda a um só livro oportuno...

 

Tenha amigos verdadeiros," chaveados" por seu critério de serem excelentes companheiros, comunicativos se aderirem a ti e que sejam honestos, e essa coisa última que eu disse é a mais dificil na vida; Ter amigos mais raros e que permaneçam seus aliados é a chave do progresso sentimental e das outras coisas que aqui não menciono. Se puderem tentar aprender juntos, ambos estarão encaminhados. Sabedoria a grupo torna certas experiências humanas cativante ou vai mais longe, quiem sabe? Basta querer...

 

Seja amável sempre, mais gentil,, sorria. ESsponha que terceiros merecem a vossa gratuidão e a sua verdade como pessoa. Não vá na onda dos outros que sempre te abominam ideias seus. Não deixe que te furtem prazeres, ameacem a sua certeza de vida, afaste-se destes. Aprenda em/com tudo, nesta vida só sua e na domesticidade de seu lar - se o tiver, não seja pedante. Encare com bom humor a realidade mais torpe que houver, sorria como se deve, sabendo que o  mal que sempre dura ( que não é eterna ) pois num dia o mal cairá em algum bem futuro. Nunca faça parte da maioria silenciosa, dos calados cegos e teimosos, sequer ficando cismado com fatos errôneos. Avance pela vida já tão complicada com a simplicidade infante sem mácula se der. A Jovialidade, a sinceridade e com o aprendizado constante tudo se conforma, ou se justifica ou se ajuiza, tudo além da rebeldia de outrora. Nisso nada se destinará, nada se desperdiçará, tudo que somos se transtornará! Pois é...

 

Fabrique sua vontade, nem seja efêmero na ação, eduque-se a cada ano, dia ou pernoite necessário. Torne-se forte com sabedoria de aprendiz, sempre a querer o bem maior a cad apasso, gentilemnte sendo humano em tudo. Se é que tem de errar, compreenda e acerte. Um passo é o limiar de uma jornada, já disseram antes em algum lugar...ou quase isso...

 

Saia ao mundo, veja o mundo, sinta o mundo, se proteja das mentiras deste mundo e jamais se vergonhe de sua verdade, seu ser, perante ele. Andando nele verá demais, sentirá muito, entretanto será amor que deve resgatar de lugares que o mundo delimita quando quer. Você mesmo é amôr se acaso tiver em mente qu es elibertou do egoísmo nacionalista exarcebadao. O mundo não é você, imenso que é, pois parte sua pertence ao cosmopolita universo lá fora. Eu acho que disse isso um dia... 

 

Hoje estou poeta, humana, deveras generosa com certo fraquejar de sentidos. E se parte de mim auxiliou uma caminnhada, por mais tôlinha que seja eu, dos outros que mal me conhecem, estarei feita A sorridente. E tem esse pessoal que sequer me manda cartas, mensagens que tais,que nunca me visitam na Recanto, e em nada posso evitar que façam assim. Ser uma poeta não me garante o mundo, a família ( que não tenho mais... ) ou sensação de liberdade a cada instante. Sou apenas livre e outros nil idem de igual modo. Que seja livre a nossa passagem escura que, com apenas um toco de vela acesa, ainda está sem semeadura de meus erros. No entanto eu já iluminei uns passos e algumas paixões quietas. Assim eu acho! E eu sou livre, sim!

Bom...

Siga a trilha do dia, da noite, da tarde. Encare os desafios. Livre-se no ocaso daquelas madrugadas infames, do crepúsculo falsamente sorridente, nem chegue perto idem dos homens maus. os quais tem tantos por essas avenidas urbanizadas...nas florestas e nos desertos inexistem descarados.das boas intenções...no entanto, sigamos ainda mais longe, mesmo que cansados das semanas longe da aurora... sou a poetisa mas aprendi a quase amar, afe!

 

Poesia, vida, liberdade, amôr diversificado, gentileza, educação e o etrno aprender são o melhor de uma vidinha sem desistências! No meu caso sou mulher e já me sinto armada e amada com isso tudo, não é?

                               

 

 

 

                                  

                                   Sacaram o lance todo? Pois então...

 


Publicado por Jurubiara Zeloso em 25/10/2017 às 21h56
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 54 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras